Sunday, July 30, 2006

Que haya paz...



foto: Momentos únicos


Paz?

No, ni la menor idea

No conocemos.

Ah, si, una ciudad de Bolivia - La Paz.

Otra paz no, no sabemos.

Ah, claro, un cantante - Paz Martinez.

Otra paz, difícil.

Puede ser una actriz española, que hace películas in Hollywood, Paz Vega.

Si no un libro - " la guerra y la paz" de Léon Tolstoi

A lo mejor una marca de pipas, Pipa de La Paz.

No sabemos.

Ah, si, un slogan Love and peace. A veces se lo imprime en las remeras.

O un premio que si entrega anualmente, el Premio Nobel de la Paz.

Paz no, no la vemos.

Puede se algo q algunas veces en alguns lados.

Durante un tiempo determinado.

Pero tampoco por mucho tiempo.

Logo de pronto se perde. Después se gana y después se pierde.

Y de novo.

Lo que no se encuentra salvo que se busque.

Lo que no se busca tanto.

Algo así. No sabemos bien de la paz.

Ah claro, un tema de John Lennon, Give peace a chance.

O será un cárcel, en la Argentina, en el penal de Marcos Paz?

Otra paz no, no se nos ocurre.

Puede ser la Avenida General Paz.

Ah, no, una inscripción que se lee en las tumbas: " Que en paz descanse "!

Paz? La palabra nos suena, pero no sabemos.

No sabemos cómo se hace.

Deve dar demasiado trabajo.

Ni la menor idea de cómo conseguirla.

Parece que no importa tanto.

Si está, bien, y si no tambien.

Paz? Ah si, un poeta mexicano Octavio Paz.

Ah no, una cancion de navidad, " Noche de paz".

Puede ser una ciudad de una provincia argentina, Villa Carlos Paz.

O un son, el "en son de paz".

O un periodista chileno, Sergio Paz.

Claro, un poema de Amado Nervo " En paz" !

Ah lo mejor un club de golf, en California, La Paz Golf Club.

Entonces un día de septiembre, el Día Internacional de la Paz.

No queda otra: un río de Guatemala, el río Paz.

O la calle Ciudad de la Paz.

Y si no, no sabemos.

No será "pal" con "l" del sistema Pal; o "par", o en todo caso "pan", o "pack",

o "pay", o "paf"?

No será "Zap", un programa de televisión argentino de unos años atrás?

Tampoco "pez" con "e"?

"Paz" así como suena, no, no la ubicamos.

No se hoy mucho hablar de ella.

No hay ni notícias de ella por el momento.

No se sabe nada.

Se complica conorcela.

Quizá más adelante.

"Paz" assí como suena.

Paz?

Ah, paz, ahora si.

Eso que no existe en el mundo.

Claro, exactamente eso.

Lo que no existe en el mundo.

O que existe, en sueños.

En sueños.

Eso, la paz.


Mex Urtizberea, Autor (?)*

in jornal argentino La Nacion

Miosótis (pseudónimo)


fragmentos da noite com flores, ao som de La Cathrédal Engloutie, Claude Achille Debussy, piano Ronan O'Hara, colecção Royal Philarmonic, Público, 2005

29.07.2006
Copyright ©2006-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 


*Nota: Foi acaso (?) este texto vir ao meu encontro. Simplicidade aparente, mas grande sabedoria.

Nele está a amargura ou cepticismo, como queiramos entender, do ser que já não acredita na paz, e através de jogos de palavras ou referências culturais - sempre partindo da palavra "paz" - alerta a Humanidade para os caminhos quase irreversíveis!

Não resisti em publicá-lo! Certamente foi para isso o acaso.


Reflexão. É preciso olhar a realidade! Pequenos actos podem levar a grandes acções.


Friday, July 21, 2006

Fragmentos da noite com flores : um ano








A Verdade

Tu és bonita.

Tu és feita de sol.

Eu amo-te.


José Luís Peixoto, A Casa, a Escuridão, Temas & Debates, 1ª ed. Outubro de 2002


Um ano passou, desde a noite de 21 de Julho 2005 em que iniciei este meu espaço mais intimista. E foi assim...

Fiquei preso a ti pelos teus olhos doces, um pouco tristes, pelo teu sorriso do tamanho do mundo. 

Pedro Paixão, Ladrão de Fogo, Prime Books, 1ª ed., Abril 2005

Do mesmo livro, retirei a inspiração para a frase de apresentação que escrevi. Corresponde ao que pretendia e continuo a querer passar de mim.

Atravessava um desespero feito de mágoas que deixaram marcas desalentadas na alma.

Um ser que amava partiu em grande sofrimento, apesar da luta guerreira que travei para o agarrar à vida. Não quis! Desistiu. E, no entanto, fora um inigualável lutador toda a sua vida!

Um amor verdadeiro, sereno, infinito, escrito na memória dos tempos afastava-se. Aí, parei! Deixei de escrever. Calei.

Sofri em mim, comigo passearam , à beira ouvida do mar, os desassossegos de todos os tempos. O que os homens quiseram e não fizeram, o que mataram fazendo-o, o que as almas foram e ninguém disse - de tudo isto se formou a alma sensível com que passeei de noite à beira-mar.


Bernardo Soares, O Livro do Desassossego, ed Ática, 1ª ed., 1982

Até que de mansinho, com a lentidão própria das almas recatadas, fui escrevendo alguns sentires.

Guardo a minha privacidade, bem precioso! É a minha essência! Não quero abrir mão.

Vamos deixando palavras que escolhemos para escrever, excertos que seleccionamos para exprimir alguns estados d'alma, imagens que visualizam a sensibilidade que nos toca. Deixamos, sem querer, passar pequenas résteas do que somos e do que sentimos.

São as impresssões digitais feitas de centelhas de sentimentos, afectos que teimamos resguardar, mas a força maior emanada da luz interior faz-nos soltar reflexos das fragrâncias do ser que somos. 

Transmitem a inteligência, as vivências, os afectos, mesmo que transfigurados. E, como tal, seja qual for a época e as circunstâncias, o importante é o pensamento que se solta, que reflecte a personalidade do ser.


Certo é. Não tento ser ou mostrar-me diferente do que sou, não forjei um arquétipo para fazer sonhar quem passa.

Tudo o que deixei entrever, eu Sou!

Vivo de utopias sim! E sou sempre eu, apesar das travessias de desertos. Longos.



Mesmo sabendo que o mundo acabaria amanhã, plantaria hoje a minha macieira.

Lutero, Sonhar! Ter fé! Helen Exley Giftbook, Editorial Estampa, 2002


Não quero terminar sem agradecer from the bottom of my heart a todos aqueles que poisaram palavras e o olhar em "fragmentos da noite com flores"


aos que deixaram suas pegadas ou não


aos que me dedicaram palavras de beleza sem par porque brotadas da alma


aos que me acolheram carinhosamente em seus espaços


aos que me amam sem me conhecerem nos caminhos que percorro


ao ser que é a sombra de meu ser e que afectuosamente vem, de vez em quando, poisar 
versos, escritos nos silêncios das noites lua de prata


O amor é uma companhia.

Já não sei andar só pelos caminhos,

porque já não posso andar só.
(...)

Alberto Caeiro, O amor é uma companhia, O Pastor Amoroso
, 10-07-1937


Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da noite com flores, um ano, ao som de Ben Webster, Tenderly, Jazz Ballads, Membran Musics Ltd., 2004

21.07.2006

Copyright ©2006-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

Licença Creative Commons





Tuesday, July 18, 2006

Shadow of a woman





créditos: Filippo Monteforte/APF
http://news.yahoo.com/photos


Não te prendas à respiração,

ao contar do pulso, às pequenas matemáticas de que

o tempo do homem depende. A memória que deixares

está para além dele; e algo de ti permanecerá,

mesmo que o não saibas, nalgum canto secreto,

no riso ou no choro de quem te lembrar.
(...)

Nuno Júdice, O amor eterno, Cartografia de Emoções
Publicações Dom Quixote, 1ª ed., 2001


Sombras

Os dias de sonho desvaneceram-se!

Houve tempo de paisagens pintadas

em tons de afectos doces, serenos

E o coração esvoaçava solto e feliz.


Momentos partilhados,

intimidade desenhada em tons puros

sem laivos de incertezas.


Trocavam sorrisos leves

o prazer feito delícia

de sentimentos em uníssono.

E bastava o esboçar de um olhar

para o outro pressentir a alma

a chama íntima, quase cândida

de gestos límpidos quase étereos

sentidos à flor da pele

com dedos inundados de ternura.


Como pássaros soltos,

seguiam-se a cada instante

juntos enfrentavam

as nuvens, os ventos, as litanias

e com o brilho do sol posto

rumavam ao luar, acreditando

que a vida lhes permitiria

ficar juntos enraizados.


Miosótis (pseudónimo)

©texto original sob mote de Nuno Júdice

fragmentos da noite com flores, som One U2 features Mary J Blige

18.07.2006

Copyright ©2006-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

Licença Creative Commons

Thursday, July 13, 2006

Emoções: as flores de Bach





Flores de Bach
http://www.biocyber.com.mx

"Se llaman flores de Bach a serie de 38 essencias naturales extraidas de flores silvestres de la région de Gales en la Gran Bretaña, cuyas propriedades curativas fueran descubiertas por el médico galés Edward Bach entre los años 1923 a 1946. A esta serie de remedios son usados en la Terapia de las emociones." (...)

flores de Bach

Movia-me a curiosidade! Estariam estas flores associadas ao compositor?

E o que encontrei foram perfumes de flores silvestres! Em número de trinta oito essências, segu
ndo Edward Bach (1886-1936), médico, bacteriólogo, homeópata e investigador, que encontrou a terapia baseada em remédios florais.

Veio-me então ao pensamento a frase de uma lenda ligada a Isabel, rainha de Portugal, mulher do rei português D. Dinis: - São flores, senhor...

Minh'alma ficou presa nas paisagens interiores e no afago suavizado das pétalas que libertam serenidade.

Aspergi meus sentimentos translúcidos, tranquilizei um pouco meus desassossegos!


Quanta magia se desprenderá desta terapia de essências das flores de Bach? 

Fragrâncias remisturadas de aromas e sentires, flutuando na brisa sedutora das emoções.

E que momentos de bem estar intimista poderão despertar? Segredos...

Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da noite com flores, voz de Enya, If I could be where you are, Warner Music UK ltd, 2005


13.07.2006
Copyright ©2006-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

Licença Creative Commons

Sunday, July 09, 2006

The King of Blues : BB King





Fotografia: Fabrice Coffrini/AFP


40º Festival de Jazz de Montreux 2006

http://news.yahoo.com/photos


BB King and his guitar Lucille, on a final tour in Europe, has bid an emotinal farewell to fans at the Montreux Jazz Festival, where the "King of Blues" has performed for more than 20 years.

Copyright 2006 Reuters


Sem dúvida o maior in the blues, BB King ao vivo no 40th Montreux Festival, um dos festivais mais referenciados do mundo da música de jazz... e não só!

Montreux Jazz Festival começou em 30 de Junho 2006, prolongar-se-à até 15 de Julho 2006!

A programação é vasta e variada. Ao longo de 16 dias desfilarão nomes como
Deep Purple, BB King, Sting, Santana, Diane Krall e muitos outros.


Nos palcos do auditório Stravinsky, Casino e Miles Daves Hall, vários estilos de música: electrónica, classic rock, MTB, reggae, pop e claro, jazz! 



BB King & Claude Nobs


BB King, o rei do Blues com 80 anos, apresentou-se no dia 3 Julho, no auditório Stravinsky - A Night with BB King & Friends.

Sem dúvida, deve ter sido uma noite inolvidável em sons in blues.

Um concerto memorável como este - BB King anunciou ser esta a sua última tournée à Europa - merecia ser transmitido para que todos os apreciadores do rythm & blues fruissem de tais momentos em que a beleza musical, impregna de mística afectiva pairaram nos palcos de Montreux!

Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da noite com flores, ao som da voz de Elis Regina, tão aclamada no Festival Jazz Montreux, 1982, tema Folhas Secas.

11.07.2006


Copyright ©2006-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

Licença Creative Commons

Tuesday, July 04, 2006

Paixão




Fotografia: Firdia Lisnawati/AP
http://news.yahoo.com/photos


O Mar

De todos os cantos do mundo

Amo com um amor mais forte e mais profundo

Aquela praia extasiada e nua

Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.


Sophia de Mello Breyner Andresen, Signo, 1994

Miosótis (pseudónimo)

fragmento da noite com mar nos olhos, som de Ben Webster, You're Mine, You!, Jazz Ballads, Membran Music Ltd. 2004

04.07.2006


Copyright ©2006-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®