Sunday, September 11, 2011

Memorial





Reuters



Memorial | Getty Images




Falareis de nós como de um sonho. 
Crepúsculo dourado. Frases calmas. 
Gestos vagarosos. Música suave. 
Pensamento arguto. Subtis sorrisos. 
Paisagens deslizando na distância. 
Éramos livres. Falávamos, sabíamos, 
e amávamos serena e docemente.(...)

Jorge de Sena, Ode ao Futuro



Miosótis (pseudónimo)

11.09.2011

Copyright ©2011-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®



6 comments:

mfc said...

Apenas mais um dia em que a Humanidade foi negada!

Virgínia do Carmo said...

Um dia que vai doer no coração da humanidade para sempre.

O poema é belo e muito adequado.

Beijinhos, Miosótis

heretico said...

"Falareis de nós como de um sonho..."

... e pelo sonho vamos!

Miosotis said...

São tantos os dias, 'mfc'!

Mas este mexeu profundamente com o mundo. Pela primeira vez a História foi vista!
A paisagem humana que nos foi dado ver dilacerou as nossas almas :(

Miosotis said...

Sim, vai! Imagens vivenciadas demasiado dolorosas, Virgínia!

Nesse dia, e sempre que se repete a lembrança, as nossas almas sofrem.

Beijinho*
( Jorge de Sena, um poeta maior que pouco é lembrado)

Miosotis said...

... um sonho muito doloroso, 'Herético'!

Beijo*