Sunday, November 12, 2006

O Perfume : o filme, o livro






Perfume - The story of a murderer
Imagem: http://i25.photobucket.com

"Há uma força persuasiva no perfume que é mais convincente do que as palavras, do que a aparência visual, do que o sentimento e a vontade."

in O Perfume - História de um assassino, Patrick Süskind

Toda a leitura, mesmo em silêncio, é fantasiosa de sonoridades! As palavras ressoam, soltam-se em timbres que ecoam em nós como aromas de sonho e maravilhamento!




O Perfume
Patrick Süskind
Editorial Presnça, 1994

O Perfume, romance do escritor alemão Patrick Süskind é um livro que permaneceu sempre no meu imaginário. Estranho e controverso, puro prazer de ler uma história envolta em fragrâncias.

Expressões me aromatizaram! Outras nuances do ser humano chegaram até mim!

Também eu não sou a mesma. 
Descobri cambiantes que, em outros momentos, não se mostrariam tão motivadores para se colarem aos meus sentidos.


A história da solidão humana impregnada de luxuriantes fragrâncias, pétalas de flores poisadas, transpostas para os odores que passam através do corpo e que só provêm da essência - a alma.





Perfume: The Story of a Murderer, 2006

E tudo isto para chegar ao filme - O Perfume - realizado por Tom Tykwer (2006) esplendorosamente narrado por John Hurt. Um dos mais talentosos actores.

Novas gradações, subtis aromas, grandes ensinamentos, perfumes que se soltaram em tons d'alma e deixaram os olhos dos espectadores inundados de beleza, apesar do macabro, num jogo de imagens que o realizador soube impregnar de estética.

Aspirei e ouvi todas as tonalidades, o ar que respirava, a cadência da brisa que aflorou, me tocou, atravessando-me numa dicotomia entre macia, aterradora, quente, gélida, acariciadora, agressiva.




Jean-Baptiste Grenouille/ Ben Whishaw 
Perfume

Foi uma nova leitura! Fascinada, segui suspensa da imagem odorífica deslumbrante, pungente, de um ser tão humanamente triste e solitário.

E senti os odores, os aromas envolventes, a cada inspiração profunda, oscilante. Sinestesias de cheiros acres, ácidos, suaves, doces, enriquecidos com a especiaria dos sentidos. 

O aroma de uma alma imensamente só ficou suspenso em mim sussurrante, perfumada pela sua imensa dor!



Perfume

Fotografia de infindável perfeição estética, exuberante, visual e pictórica de Frank Griebe.

E assim passo da leitura para a música, um mundo de êxtase transbordando em sons, melodias, esparsas de profunda sonoridade.

Aspersão de fragrâncias visuais e sensitivas de incomensurável leveza.

As músicas, as leituras, os filmes são indissociáveis. Sonoridades, aromas, sentires longínquos de litanias e reminiscências.

(...)
o perfume azul de um corpo adivinhado
ou um oásis de silêncio a brancura de um lírio
que nascesse do seio do espaço

Branca dourada ou transparente

flexível como a água ou uma folha oval
apenas esboçada vacilando
luz misteriosamente pura
inacessível já voando para o alto.

António Ramos Rosa, Antologia Poética, Publicações Dom Quixote, 2001


Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da noite, música de Tom Tykwer, Johnny Klimek e Reinhold Heil, executada pela Orquestra Filarmónica de Berlim

12.11.2006
Copyright ©2006-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®

Licença Creative Commons


33 comments:

Å®t_Øf_£övë said...

Miosotis,
Pelo que vejo continuas na senda da tua interioridade entre cinema, música, e livros.
Por vezes é bom ficarmos "sozinhos"... apenas na nossa própria companhia. Ajuda-nos a crescer interiormente, e isso faz de nós pessoas melhores.
Bjo.

Spells said...

Olá...
Pois é assim, vou ver esse filme hj, há muito que esperava pela sua vinda para Aveiro... li o livro faz tempo, adorei, não consegui parar enquanto não acabei... talvez por isso esteja um pouco receoso, sempre que vou ver um filme adaptado de um livro que já li saio sempre algo desanimado, salvo raras excepções, claro...

Um beijinho e uma semana repleta de sorrisos é tudo quanto te desejo... até breve!

nc

Miosotis said...

Sim Art... um percurso solitário e assumido qd em volta as 'fragrâncias' não tocam na essência.

Não penso que o faça para me tornar melhor pessoa... afinal o aroma da alma já vem aprimorado...

Mas o Ser não nasceu para viver sempre imbuído na sua solidão. Estás de acordo?

Mt sensibilizada pelo 'fiel' poisar do teu olhar em meu espaço.

bjs

Miosotis said...

Tb sofro desses receios, 'Spells' sp q um livro me agrada mt...

Mas, no meu sentir, este saiu enaltecido a tal ponto a versão/olhar sobre a estória é sensível e estética!

Sei q vais gostar! Dp me dirás...

Mt sensibilizada pelo teu olhar carinhoso!

Bom filme! E uma linda semana para ti!

bjs

Tiago said...

depois de ler o teu post e de ter visto o filme (este vi), poucas palavras tenho a acrescentar.

um filme que supreende pela fotografia, banda sonora, uma transposição para o cinema muito bem conseguida.

Quanto a obra que esta por tras, remete-nos para a evidencia que somos seres de 5 sentidos, e que nao vivemos para estarmos sozinhos, vivemos para a partilha, sem nunca esquecer que todos nos temos o nosso espaço, no qual vagueamos na solidão.

uma muito boa semana para ti miosotis
bjs em tons azuis
Tiago

Clife said...

Vejo em ti - em posts como este - aquilo que não tenho tempo, ainda e por enquanto, pra ser... mas que sou, eu e um livro, eu e um bom filme, eu e uma boa música... a sós. É tão bom por vezes ser solidão... mas melhor ainda quando a partilhamos com um alguém assim. Bjs naqueles tons... que são assim como tu.

CarpeDiemBeHappy said...

Ena!! Sabes que estou a ler este livro!!
Claro que não vou perder o filme, mas antes tenho que acabar de ler o livro que estou a adorar muito!!

Conheço poucas pessoas que o conseguiram leram e que gostaram, a maioria ficou pela primeira parte descritiva. Logo a que eu adorei e a que me motivou para continuar.

Beijinho

Miosotis said...

Fico feliz por saber q viste o filme, Tiago! E mais ainda por teres gostado... e vir até aqui compartilhar comigo a tua opinião.


Desta vez... o autor/realizador ñ desacreditou o autor/escritor como por vezes acontece com outras adaptações cinematográficas de livros de autor!

Como pudeste ler perante o q escrevi - e tu próprio anuiste - a estória de Patrick Süskind sai enaltecida, pela beleza da narrativa visual e estética.


Tom Tykwer apresenta-nos com mais sensibilidade, se possível, a solidão universal do Ser.

Uma boa semana para ti tb!

bjs em tons de azul

Miosotis said...

Clife, como agradecer as tuas sensíveis palavras de amigo?!

Sem dúvida, os livros, a música, os bons filmes são componentes de apoio a 'travessias' de solidão.

Pelo q leio em teu espaço, sei que és um ser mt bonito... e com 'travessias' semelhantes!

Mt obrigada por compartilhar teus sentires tão afectuosos.

bjs em tons de azul

Miosotis said...

'Carpe'... deves acabar de ler e dp sim, ver o filme para melhor fazer a comparação! Estamos de acordo!

O livro é sem dúvida um óptimo suporte para o filme que fica enaltecido pela leitura do Tom Tykwer e por tds os 'ingredientes' aqui apresentados.

Mt sensibilizada pelo teu olhar aqui poisado!
Qd quiseres... volta para partilhar a tua opinião :)

bjs

Cris said...

Tenho algum receio em ver o filme, apenas porque adorei o livro, mas creio que será a próxima ida ao cinema. Aliás, as tuas recomendações são sempre fiáveis e muito boas!

Um bjo
C.

Spells said...

Olá... menti e peço desculpa, ainda não pude ver o filme, é contratempo atrás de contratempo... talvez esta semana eu consiga!

Um beijinho, hoje triste e algo melancólico...

nc

Miosotis said...

Eu tb receava... mas arrisquei!

Afinal, é bom abrir horizontes a novas 'visões' de uma obra!

Ñ me arrependi! O filme é uma '[re]leitura' q vem enriquecer o livro... e quem o leu, Cris!

Volta dp aqui para partilhar teu sentir!

Sensibilizada por poisares o teu olhar em meu espaço com carinho.

bjs

Miosotis said...

'Spells', ñ mentiste! Fazias planos... mas algo te impediu.

Os contratempos são uma permanência na vida... o q é lamentável pq retiram tantos sentires!

Vou aguardar q voltes menos triste e mais animado, quem sabe?!

Mt sensibilizada pelo teu afectuoso olhar em meu espaço!

bjs em tons de azul mais sombrio

DarkViolet said...

O filme para mim tem uma mensagem muito forte que é: quando encontramos a nosso verdadeiro estado de Alma seguimos até ao fim nessa procura, mesmo que isso implica coisas "monstruosas" para sociedade. E cada um tem sua essência falta somente como entornar o frasco e ser comido :)

P.S: obrigado pela localizaçao, mas tb para mim é dificil lá ir

Miosotis said...

Bem-vindo 'Darkviolet' ao meu espaço.

A mensagem final do filme é suavizada... a do livro é 'crua' e aterradora.

A personagem, para seu desespero, ñ era possuidor de 'essência'!

De repente, fiquei sem saber q localização, mas dp lembrei - 'O Borboletário'... sem dúvida!
Já somos dois...

Sensibilizada pelo teu olhar poisado neste espaço.

Nelita said...

sabes k o cheiro é das coisas k mais me marca nas pessoas...
o perfume e algo k me consegue por bem disposta...
esta aromoterapia e fascinante...
um bjito perfumado

driftin' said...

Não sei se o desencanto é uma coisa palpável!... Parece-se mais com uma sombra que se refugia nas entrelinhas à espera de que o sol a recupere e lhe dê sentido.

Penso ter dado por ele nas tuas entrelinhas, mas, curiosamente, também reparei que a alma não se prende, mesmo quando nos dobramos sobre ela.

Cris said...

Bom Fim de Semana e Bom Cinema!!!

Beijos

Cris

PAULO SANTOS said...

Já li o livro e aguardo ansiosamente para ver o filme!
Depois conto-te!
Um imenso Beijo!

Paulo

Miosotis said...

Sem dúvida... o[s] perfume[s] marca[m] os nossos sentires, Nelita!

A aromaterapia é já outra vertente q pode tb ser aqui incluida, mas funciona mais como técnica de bem estar! E é maravilhosa na sua componente 'aromatizante' dos sentires físicos, não psicológicos.

Gostei imenso de voltar a ler teu olhar neste espaço!

bjs em aromas outonais

Miosotis said...

Bem-vindo 'driftin' a este meu espaço de alguns sentires, ultimamente virado para a estética cinematográfica.

Em tudo o q escrevemos, passará sp algo do nosso íntimo pq é a nossa maneira de ver e de sentir as coisas!

Se no texto descobriste algs fragrâncias de meu Ser, é natural!
Afinal o q é a palavra?!

Qt a 'alma'... assunto bem mais profundo q pod ñ ser palpável a um 1º olhar!?

Deixo-te estas questões em aberto...

Mt sensibilizada pelo teu olhar 'perscrutador'!

Miosotis said...

Mt sensibilizada pela tua lembrança, Cris!

Votos de bom f-s também para ti!

bjs

Miosotis said...

Bem-vindo Paulo, a este meu espaço em tons de azul [outonal]!

Aguardo mm q venhas aqui falar sobre o teu olhar sobre 'O Perfume' [filme].

bj sensiblizado

Spells said...

olá...
finalmente fui ver o filme... vou ser sincero, sai ao intervalo... não achei aquela paixão que senti ao ler o livro... não encontrei amor nas personagens... um filme oco... esta é a minha opinião.

de momento estou sem net, e só hj reparei os teus comentários... agradeço a tua humilde preocupação!
Um beijinho de boa noite e uma excelente semana...

nc

Miosotis said...

'Spells' eu nunca confundo um livro com uma abordagem, um olhar, sp subjectivos.

O amor está mt subtilmente subjacente, embora o realizador se tenha detido mais na 'reabilitação' da personagem.

Oco, não... [a angústia existencial de um ser q descobre ñ ser possuidor de aroma está patente] e é lancinante em certos momentos.

Considerei, apenas uma livre interpretação de um livro q tal como todo o acto de tradução, pode conter um 'acto de traição'.

Eu gostei... e aqui entram as nossas sensibilidades/subjectivades... a cada um de nós seus 'amores'.
Gostei da fotografia, gostei da banda sonora. Gostei!

Ñ tens q agradecer a minha afectuosa preocupação. Ela é apenas um parte do meu ser... uma pequeníssima parte!

Votos de uma excelente semana e um bj bem carinho por cumprires a tua palavra de voltar...

Avusa said...

Tenho que ver este filme. Adorei o livro quando o li tinha eu uns 16 anitos. Vim ao teu blog através de um comentário teu no BarraZen.
Gostei e vou voltar, se me permitires!

Miosotis said...

Errata [resposta a 'spells'] - '... as nossas sensibilidades/
subjectividades...'; '...bem
carinhoso...'

Miosotis said...

Bem-vindo/a 'avusa' a este espaço de alguns sentires!

Sensibilizada pelo teu olhar.

Será um prazer ler-te de novo...

Ricardo said...

:)

Avusa said...

miosotis, avusa é um termo em páli que significa "amigo". Considera-me masculino.

Voltarei! Passa no meu espaço se te apetecer. Será um prazer receber-te lá.

Miosotis said...

Ricardo, bem-vindo ao este espaço!

Espero voltar a ler teu olhar por aqui poisado! Sensibilizada!

Miosotis said...

Sensibilizada pela 'descodificação' da palavra 'avusa'!
E sensibilizada pelo teu olhar de novo poisado em meu espaço, 'amigo'!

Passarei certamente pelo teu espaço!
É um ponto de honra para mim...
Mt obrigada pelas tuas boas-vindas!