Sunday, August 20, 2006

Celebrar Mozart : Milos Forman & Agostinho da Silva





Wolfgang Amadeus Mozart
Johann Nepomuk della Croce (1736–1819)


"Mozart was a passionate dancer and attended at least 200 events and fancy-dress balls"

Austria celebra os 250 anos do nascimento de Wolfgang Amadeus Mozart com um vasto programa de actividades denominnado Viva Mozart ao longo do ano 2006.




Wolfgang Amadeus Mozart

"todas as suas horas estão cheias de preocupação de dinheiro e talvez em nenhum artista se veja tão bem como em Mozart como a opressão económica as possibilidades dos homens; é certo que o seu canto vai sempre além das dificuldades monetárias, é certo que, mesmo nos dias piores, a fonte donde mana tem a pureza e a fresca harmonia das águas das montanhas; mas também é certo que as privações que lhe abreviaram a vida, que a doença que o mata aos 35 anos vem di excessivo trabalho, da falta de conforto, do íntimo desgosto perante a dureza do mundo; e é cheio de dor que Mozart sente que a morte se aproxima: não a teme por si própria, mas ela é o fim da contemplação deste mundo que tanto o encantava; não mais voltará a sentir a doce alegria das manhãs, nem o perfume das flores, nem a graça dos corpos femininos, nem a melancolia dos crepúsculos; não mais se poderá sentir irmão dos regatos e das aves, não mais as virações que lhe trarão as carícias dos seus reinos de sonho; a morte é um fim, um fim absoluto; mas sabem também que há-de viver na memória dos homens e que estes, a cada dia o hão-de compreender em maior número e melhor; que um Mozart eterno, renovando de hora a hora, a alegria e a beleza universais, há-de ficar para além do Mozart perecível que vai agonizar entre crise de lágrimas e relâmpagos de inspiração; no Requiem, que não chega a terminar, de que ainda, no último momento de consciência, indica, mal movendo os lábios, os toques de tambor, ele põe, juntamente com a tristeza de morrer, um canto de esperança, de confiança na vida, de certeza de que um dia ela será a gentil, preciosa, divina melodia de que sempre andou cheia a sua alma; deu-lhe batalha a existência e ele soube ganhá-la: fixou no eterno o que deve ser eterno e a melhor parte do seu ser pairou acima de todos os momentos imperfeitos; a vitória do espírito é completa com a música de Mozart; nem sabe a humanidade onde param os seus restos, porque os poucos amigos que lhe acompanhavam o enterro não tiveram coragem de romper com a tempestade de neve; mas a sua inspiração, o inultrapassável sentido de beleza, a união sem mácula da mais viva das sensibilidades e da mais pura das expressões, estarão sempre connosco, nas horas de alegria e nas horas de amargura, como um amparo, como um guia, como o Mestre mais alto de resignação heróica, de humildade e de amor, de graça inteligente e de universal simpatia. [...]

Agostinho da Silva, Mozart, Lisboa, s.n., 1941 (Iniciação, caderno de Informação Cultural), BN M. 2111 v.

in BNPortugal





Pareceu-me imprescindível associar a esta homenagem a Mozart dois autores que o celebraram, um pelas 
palavras Agostinho da Siva e outro pela imagem, Milos Forman



Amadeus/ Milos Forman
créditos : Giphy

Não deixa de ser interessante relembrar que no ano, 2006, em que se celebra o centenário de Agostinho da Silva, se associam as celebrações dos 250 anos de Wolfgang Mozart.




Wolfgang Amadeus Mozart 
créditos: Photograph: Time Life Pictures/Getty Images

Viva Mozart celebra em 2006, os 250 anos do nascimento Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791). Nasceu em Salzburgo, morreu em Viena.

Mais do que a efeméride, é dever da humanidade prestar tributo ao músico idolatrado pela corte, e que pobre, faminto, e muito doente, 
morre a escrever o seu Requiem (inacabado), para alimentar a família. Foi a enterrar em vala comum, no completo anonimato.






Wolfgang Amadeus Mozart
créditos: BNP

A Biblioteca Nacional de Portugal teve uma exposição Mozart (1756-1791) patente de 1 a  30 Junho 2006.

"Por ocasião dos 250 anos do nascimento de Mozart, a Biblioteca Nacional organiza, de 1 a 30 de Junho, na Sala de Referência, uma mostra de bibliografia portuguesa alusiva àquele músico, nascido em Salzburgo a 27 de Janeiro de 1756 e falecido em Viena a 5 de Dezembro de 1791."




Amadeus | Milos Forman (1984)

Amadeus (1984) de Milos Forman, considerado um dos 'cem melhores filmes de sempre' é, sem dúvida, até hoje, e passados 250 anos, a maior homenagem feita a este talentoso compositor. Ninguém captara a alma de Mozart como Forman.

A alegria, o talento, a irreverência, a solidão, de um dos maiores músicos e compositores clássicos.

Mozart é hoje um dos músicos mais tocados em todo o mundo.

Verdadeiros poemas musicados à vida compôs Mozart. Na sua música, tantos de nós buscamos refrigério para nossas almas.






Selo comemorativo 250 Anos/ Portugal

“Music is my life and my life is music.” 

 Wolfgang Amadeus Mozart





Milos Forman, 1985
credits:  AFP/ Getty Images

Milos Forman morreu ontem, dia 13 Abril 2018. O grande realizador de origem checa, mas naturalizado norte-americano, que deu vida a um dos mais belos filmes de sempre, Amadeus. Filme galardoado com oito Orscars na 57th Annual Academy Awards em Hollywood, Março 25, 1985.




Amadeus
Milos Forman,1984

Baseado na peça de Peter Shaffer, Amadeus retrata o génio musical do séc. XXVIII como um um adulto-criança irreverente, bem como o compositor menos dotado Salieri como seu inimigo na sombra. 

Um tributo merecido a juntar a este post dedicado a celebrar grandes nomes com um eixo comum. Mozart!


Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da manhã tardia, sons de reminiscência muito pessoal, Concerto Nº 23 em Lá Maior, K488

20.09.2006


actualizado em 14.04.2018
Copyright ©2018-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

18 comments:

Anonymous said...

Olá!
Esta é a visão que tenho de Mozart,fascina-me Agostinho da Silva e foste particularmente feliz nesta... dupla homenagem,adorei!
Gostei imenso da Àustria e embora tenha uma "perdileção"por Viena,Salzburgo foi uma cidade em que reli Mozart e as várias imagens que uns e outros dele dão ou vendem,como queiras.
Sorri,de todas escolheria esta,sem dúvida,foi delicioso encontrá-la aqui,coisas de sentir_es...
Beijinho grande
M

Ekilibrus said...

Plenamente justificada!
Bjs

Paulo said...

Homenagem bem lembrada!

Percebi q és muito ligada a cultura tb.
O q faz do seu Fragmentos ser um belo Blog.
Sempre há algo interessante...

Q esta seja uma ótima semana em tons de azul.

bjoss

miosotis said...

Sempre atento "M".
Mt sensibilizada pelo teu olhar!

Há realmente coisas de sentir_es...

bjs

miosotis said...

Sensibilizada pelo teu olhar 'ekilibrus'!

bjs

miosotis said...

Sempre fui mt ligada a 'aspectos' culurais, Paulo.
Só agora teu olhar, sp tão atento, reparou?! :)

Mt sensibilizada pelo afecto demonstrado.

bjs e uma semana em tons de azul

Sereia Azul* said...

Uma selecção perfeita que revela o bom gosto da tua alma! Uma homenagem magnífica!

A morte não existe...e um génio como Mozart ainda menos, ele que ficou eternizado com a sua sabedoria e o seu talento.

Uma brisa de mar no teu coração

Sereia Azul*

Tiago said...

Uma homenagem sentida, feita por alguem que revela sempre um toque especial...subtileza.

bjs
Tiago

P.S.
foste "etiquetada"
podes aparecer no emu cantinho para saberes mais.

bjs
tiago

miosotis said...

Deixaste um lindo olhar em meu espaço, 'sereia azul'... mt sensibilizada.

A brisa de mar tem sp um lugar especial em minh'alma.

bjs

miosotis said...

Como sp, és mt sensível no olhar q poisas em fragmentos, Tiago!

Vou ver o q significa ser 'etiquetado'...

bjs

José Manuel Dias said...

Existem pessoas que pelas obras perduram nos tempos...é o caso.
Bjs

miosotis said...

São duas pessoas cuja obra se demarca pela grandiosidade. E seres tão 'simples'...

Sensibilizada pelo teu olhar sp atento, José Manuel!

bjs

Eternal said...

Grande Alma, Grande Senhor!
Beijinho Lunar

miosotis said...

Na verdade, 'eternal'. Almas sp 'simples' e nobres.

Sensibilizada pelo teu olhar.

bjs

aya said...

Espantoso este teu cantinho de fragmentos!!Adorei!!!!!

padeiradealjubarrota said...

Terrivel o drama da sua vida. Que, possivelmente, ainda lhe engrandeceu o génio.Quanto mais nos poderia ter legado!

miosotis said...

Bem-vinda 'aya' ao meu espaço de alguns sentires.
Mt sensibilizada pelo teu olhar tão afectuoso.

Até breve!

miosotis said...

Verdd 'padeira, já q morreu tão novo!

Tão doente, continuou a compor peças grandiosas. O seu 'Requiem', um dos mais belos, talvez o mais belo, em meu sentir...

Sensibilizada pelo teu olhar.