Monday, May 03, 2010

Fragmentos




Foto: Oleg Oprisco


Não se sabe como acontece, nem quando..[...] A vontade de anular todo o intervalo entre as coisas.

Pedro PaixãoSem fôlego
 
Todo o Ser se encontra solitariamente contido no cabo bojudo dos dias de tormentas. E na dança dos gestos não contidos, ele avança sem véus  nem máscaras.

Todo o Ser espera com olhos levantados, muito para além do quebrar das fendas de seu âmago, pela acalmia em sabores de maresia musical.

Vibrações do tempo ora crescendo ora pianissimo que se espraiam pelos gestos soltos e desanuviadores de um corpo que grita sua alma  em aromas de jardins de sons intensos.

Fragrâncias onde a vida repousa e se abriga.


Te vi há quanto tempo? Não sei! A memória das coisas belas é esfrangalhada pelos intervalos da vida.


Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da noite com flores
02.05.2010
Copyright ©2010-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®


Licença Creative Commons

16 comments:

OLHAR VAGABUNDO said...

e quantos intervalos tem uma vida?

beijo vagabundo

Daniel Aladiah said...

Querida Miosótis
Muito bonito este texto!
Os intervalos são muitas vezes só causa de ansiedade, cai a adrenalina, sente-se o tempo perdido... e não se sabe se tudo o resto vale a pena.
Um beijo
Daniel

Virgínia do Carmo said...

Lindo, lindo... Não há intervalos que esfrangalhem a alma de quem respira poesia...

Um terno beijo

Nilson Barcelli said...

Todos procuramos a acalmia, mesmo no cabo das tormentas...
Magnífico texto. Gostei.
Querida amiga, bom fim de semana.
Um beijo.

heretico said...

nos intervalos da vida há lugar para a beleza. aqui. sempre..

beijos

Sonhos Sonhados said...

Miosótis

...vim fazer uma "visita".
gostei!

...linda mensagem
"...Te vi há quanto tempo? Não sei! A memória das coisas belas é esfrangalhada pelos intervalos da vida."

xis létinha

Miosotis said...

... pois, 'poeta vagabundo', cada um terá que contar os seus...

Foi muito bom ler-te por aqui, de novo!

Beijo,

Miosotis said...

... em certa medida, quase que sou levada a concordar, querido Daniel!

Mas será muito redutor sentir desse modo!

Beijo fraterno,

Miosotis said...

... e por vezes, e por vezes...

Um beijo afectuoso, Virgínia!

Miosotis said...

... sim, todos nós, desejamos acalmia, em muitos momentos da vida, Nilson!

Foi tão bom ler-te por aqui!

Excelente semana!
Beijo,

Miosotis said...

Se eu tivesse esse dom...

Sempre afectuoso, 'Herético!
Beijo,

Miosotis said...

Foi um prazer, 'Létinha'!

Linda semana!
Beijo,

poetaeusou . . . said...

*
os hiatos
muitas das vezes
são fontes de renovação .
,
conchinhas,
,
*

Tania said...

Que delícia de texto, e "um corpo que grita sua alma em aromas de jardins de sons intensos" é simplesmente maravilhoso.

Um grande abraço.

Miosotis said...

... também, 'Poetaeusou'!
Mas só por vezes...

Abraço,

Miosotis said...

... nem sempre a inspiração se senta ao nosso lado, Tania! Mas há momentos, soltos, em que confraternizamos...

Abraço amistoso
(sensibilizada)