Saturday, May 29, 2010

A Romy Schneider : tributo




Romy Schneider (1974 )
photo: © Reporters Associes / Gamma-Rapho

A noite está serena! A lua brilhante, apresenta-se na sua esplendorosa beleza sem nuvens que a perturbem. Uma atmosfera confortável, quase cúmplice de fragmentos que olhámos e retivemos na memória dos afectos

Nesta noite, 28 para 29 de Maio 1982, Romy Schneider morreu, Sua morte chocou o mundo e todos os seus admiradores choraram.

Morte acidental, mistura explosiva de alcóol e medicamentos. Suicídio desesperado em busca de serenidade?



Romy Schneider seu filho David (1968)
photo: © Jean-Pierre Bonnotte | Gamma-Rapho

Que importância terá isso perante o desespero de um ser humano, milher, mãe, que existia bem para além do grande talento e do rosto lindo do ecrã? 

Romy Schneider percorreu nos últimos dois anos de sua vida um dolorido calvário, entre diversos dramas, casamentos e divórcios, mas sobretudo a trágica morte acidental de seu filho, David



Romy Schneider (1973)


Perseguida sem compaixão pelos paparazzi, que chegaram a publicar fotos bem dramáticas sobre a morte de seu filho, Romy Schneider tenta ainda dedicar-se à sua carreira de actriz e faz um novo filme, La Passante du Sans-Souci (1982). Nele contracena com um jovem actor de 14 ans. Dolorosa experiência que lhe relembra seu filho David. Seria sua última actuação.

Lembro-me que vi o filme. Romy Schneider não escondeu em nenhuma cena seu ser destroçado, em contacto com o jovem intérprete.
Um filme lancinante que espelhou a lenta agonia da actriz. Saí profundamente chocada e imbuída de uma tristeza imensa. Dolorosa interpretação, real.

O canal de televisão France 5, na série "Les Derniers Jours d'une Icone", decidiu passar o documentário Les derniers jours de Romy Schneider realizado por Bertrand Tessier, no dia 6 de Junho, embora estivesse anunciado para hoje. É o mínimo respeito a quem é devido o silêncio. E a paz.



Romy Schneider | Alain Delon (La Psicine, 1968)
photo: © Jean-Pierre Bonnotte | Gamma-Rapho

Uma actriz que parecia ser a personificação do sucesso feliz, no cinema, na vida, mas que escondia um sofrimento que transbordou, muito para além da ficção, numa agonia d'alma crescente até ao limite da sua travessia.

Os olhos matizados de azul-esverdeado mais belos do cinema fecharam-se nessa noite, faz hoje 29 anos.

A noite dos Cesars (2008) foi-lhe dedicada. Alain Delon, seu maior amor num romance atribulado, entrega-lhe a título póstumo o Cesar d'Honneur.







Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da noite com uma rosa branca. Para Romy e David.

28.05.2010
Copyright ©2010-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®

Licença Creative Commons

7 comments:

Multiolhares said...

Quantas vezes olhamos uma pessoa e pensamos que ela é feliz , poderosa, mas raramente tentamos olhar sua alma
beijinhos

heretico said...

uma paixão.

excelente a tua homenagem.

beijos

Virgínia do Carmo said...

Doeu, talvez porque foi escrito com dor...

Há memórias que nos entristecem tanto...

Beijinhos

Miosotis said...

... raramente para alguns, 'Multiolhares'!

Os mais sensíveis tentam ir mais fundo em seu olhar!

Um beijo,

Miosotis said...

Romy Schneider era um encanto, 'Herético'! E uma excelente actriz!

Um destino bem 'trágico' :(
Beijo,

Miosotis said...

... lembro como as notícias desse destino tão 'mal fadado' entristeceram os mais sensíveis admiradores da actriz!

E o filme 'La Passante du sans-souci' que vi pouco tempo depois da sua morte, ficou-me entranhado na alma :(

Um beijo,

Miosotis said...

[para Virgínia]- a última mensagem é resposta a teu sensível comentário!

Beijo