Tuesday, June 08, 2010

Instantes de vida




Harold Lloyd | Flickr



Vivam, apenas
Sejam bons como o sol.
Livres como o vento.
Naturais como as fontes

Imitem as árvores dos caminhos
que dão flores e frutos
sem complicações.

Mas não queiram convencer os cardos
a transformar os espinhos
em rosas e canções.
(...)

José Gomes FerreiraVivam apenas

O murmúrio das gotas de chuva saltitando nas vidraças fazem de volta as noites invernosas atravessando tempos sazonais. 

Não será das melhores noites para escrever! Respeitar meus silêncios interiores, talvez a melhor maneira de atravessar este rigor do tempo primaveril?! Importante seguir o coração e viver em sintonia com meus sentires!

O silêncio e a poesia por companheiros, numa música de fundo sem acordes.

Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da noite
08.06.2010
Copyright © 2010fragmentosdanoitecomflores, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®


22 comments:

Nilson Barcelli said...

Gostei da tua "música de fundo sem acordes".
E do poema. E da foto.
Um post desenhado em silêncio e poesia, do qual gostei imenso, querida amiga.
Beijos.

poetaeusou . . . said...

*
um belo post,
,
vivam
os vividos momentos
nos instantâneos da viva,
,
vivas conchinhas,
ficam,
,
*

Multiolhares said...

Existem momentos que devemos simplesmente "Ser" e estar em sintonia com o Universo
beijinhos

DarkViolet said...

Novo design! e com folhas de outono:)
Sao dois bons companheiros e que necessitam sempre atençao e carinho. O sol devia ser sempre tímido

heretico said...

ha sempre um acorde insuspeito. e uma sintonia. na vibração do silêncio...

belíssimo texto

beijo

Virgínia do Carmo said...

Sábia... como sempre...

Beijinho terno!

Luciana Marinho said...

cultivar o intimismo com sensibilidade e beleza... tão lindos teus "fragmentos da noite com flores". e que surpresa encontrar romy aqui, ganhando vida em cuidadosas palavras. foi um prazer vir aqui. prazer que se repetirá. obrigada pela visita ao máquina lírica!

um abraço!

Ricardo Calmon said...

Entre texturas e filigranas ,amalgamadas em versos teus,percebo teu semear,então,dagora a partir ,um girassol és,poeta escriba e mulher guerreira ,na simplicidade de flor seres!doravante,girassol és,em campos meus,bem vinda girassol poeta!

viva la vida

Daniel Aladiah said...

Querida Miosótis
Há, com certeza, dia após a noite. A poesia junta-se à música, quebrando o silêncio e, mais do que isso, a solidão, enquanto acreditarmos que vale a pena viver. E, quase sempre, vale a pena viver.
Um beijo
Daniel

Miosotis said...

... é que "música de fundo sem acordes" acontece, por vezes, Nilson!

Sensibilizada pelas tuas palavras amistosas :)
Beijo,

Miosotis said...

... a vida sim, 'poeta', é feita de momentos, alguns deles... instantâneos!

Sempre 'poetando':)
Abraço,

Miosotis said...

... não posso estar mais de acordo, 'Multiolhares'! Este 'post é a prova...

Beijo,

Miosotis said...

'Novo design'... a simplicidade disponibilizada por 'blogger' :)
'e com folhas de outono' - umas folhas com aromas primaveris!
Apaixonei-me por esta foto! Linda! Não te parece, 'Dark_'! Logo tu que adoras fotografia!

Sim, são dois imprescindíveis companheiros! Quanto ao sol, venero-o de qualquer jeito! Mas gosto quando me aquece!

Miosotis said...

... em certa medida, é um pouco assim, 'Herético'! Quando esse acorde vem do íntimo... daí em vibração com o silêncio...

Sempre atentamente afectuoso!
Beijo,

Miosotis said...

... apenas intimista, 'Virgínia'...

Como é bom ler-te por aqui!
Beijo afectuoso,

Miosotis said...

... sim, este é meu canto intimista,'Luciana'!

Romy! Impossível deixar passar um dia tão triste :(
Uma vida que tinha tudo para dar certo! E quanto sofrimento...

Foi um prazer ler suas palavras em 'fragmentos'! Muito sensibilizada!

Abraço,

Miosotis said...

... não sei como agradecer tuas palavras, 'Ricardo'! Tão amistosas, sensíveis!

O intimismo é meu, os versos Gomes Ferreira. Um dos mais belos poemas!

Foi um prazer!
Abraço,

Miosotis said...

... música e silêncio não são opostos, querido Daniel!

A solidão. larga margem em cada vida...

Sempre tão bom ler-te por aqui!
Beijo amistoso,

Tania said...

Sempre penso que é um presente do tempo, essa aprendizagem. Saber seguir o coração, aprender a ouvir as suas músicas silenciosas...

Lindo o poema do José Gomes Ferreira. Sensíveis e serenas as suas palavras.

Um abraço!

Ricardo Calmon said...

Miosotis poeta e escriba querida:

Feliz fico ao iniciar jornada essa,de roteirista,nessa quarta chuvosa from Rio de jeneiro,e te degustar através de letras suas e transcrições de anjos autores inesquecíveis,mesmo com chuva intensa,cotidiano meu inicia na cachoeira dos primatas,a quinze minutos de carro de casa minha,onde me banho nas translúcidas aguas dessa atlantica mata,ao adentrar nesse fluxo intenso de cristalinas águas hoje,br ki frio,vibrarei vc,escriba amiga,assim como os seus mais queridos!

girassois amarelíssimos em braçadas para vc,como se fossse!

viva la vida
bzuz girassolicos em mãos suas

viva la vida

Miosotis said...

... não sei se é um presente do tempo, Tânia, mas talvez tenhas razão...

José Gomes Ferreira tem sido um pouco esquecido, e no entanto, tem poemas lindos: uma sabedoria feita de vivências, uma sensibilidade perspicaz!

Abraço grande,

Miosotis said...

Quanta coisa linda tu me escreves, caro Ricardo! Fico muito sensibilizada :)
'Cachoeira dos primatas'... fala-me um pouco dessa cachoeira onde inicias teu dia! E tão perto do Rio?!

Acredito que seja fria a água! Eu por meu lado, tenho o Atlântico bem por perto, onde me refugio, sempre que o tempo e afazeres me permitem!
Mas os nevoeiros densos têm descido sobre a costa :(

Braçadas de girassóis... flor da cor desse sol que tanto amo! Muito obrigada! Recebo-os encantada!

Abraço,
(bom domingo, espero que menos chuvoso.)