Sunday, November 02, 2008

Pensando...




Adriana Banfi (aguarela 1991)




Adriana Banfi (aguarela 1991)



flores brancas da pera

e uma mulher no luar
lendo uma carta


white blossoms of the pear

and a woman in moonlight
reading a letter


Yosa Buson

Um dia, não sei em que vida, em que passagem, mas um dia, eu sei, esse dia... o perfeito amor vai chegar e vai poisar em meu regaço duas mãos cheias de mar. E em uníssono, as estrelas cintilantes ouvirão pronunciar: "Quero-te profundamente"!


Nesta noite de Novembro frio, revejo muitas noites de luar que se transformavam em fragmentos de sinceros sentires, deixados aqui, com um toque de nostalgia, muita esperança, alguma alegria, sonoridades de paz, desassossego, impregnando assim meus pensamentos de flores com fragrâncias doces, aromas de maresias e alquimias.

Não vou dizer que nada mais sinto para escrever.... sinto, sinto! Mas se tenho vontade de escrever? Nem sempre! 
Como se uma mão poisasse em meus lábios um secreto gesto de silêncio. 


Já tentei algumas vezes, obedecer a essa invisível vontade, mas depois bate-me aquela vontade íntima de escrever. Por vezes!

Prefiro escrever à medida que vou sentindo desejo íntimo de cuidar...

"Haverá o grande silêncio primordial quando as mãos se juntarem às mãos. Depois saberei tudo. Não se sabe tudo, nunca se saberá tudo, mas há horas em que somos capazes de acreditar que sim, talvez porque nesse momento nada mais nos podia caber na alma, na consciência, na mente, naquilo que se queira chamar ao que nos vai fazendo mais ou menos humanos."

José Saramago

Miosótis (pseudónimo)

©texto original

02.11.2009

Copyright ©2009-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®


fragmentos da noite, em tonalidades gélidas que deste lugar descortino. Uma janela poisada sob os telhados da cidade calma.


Licença Creative Commons



41 comments:

Tiago R Cardoso said...

"Prefiro escrever à medida que vou sentindo desejo íntimo de cuidar..."

correcto, escrever deve ser por prazer não por obrigação.

Miosotis said...

... sim, Tiago! Este espaço é feito de sentires mais intimistas!

Sensibilizada pelo olhar atento a 'fragmentos'!

Boa semana!

Bill Stein Husenbar said...

Simplesmente perfeito,

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

José Miguel Gomes said...

Saio tranquilo.

Fica bem,
Miguel

DarkViolet said...

Faz frio...Gelado o tempo necessita o acolhimento das ruas fragmentadas...O espaço enfeita as janelas, as luzes prateadas

dctorxix said...

Não venha me contar que tudo se tornou fácil e sem cor e sem valor e sem amor. Eu quero novidade! Aquilo que eu ainda não sei. Traz o novo aqui pra mim, vai. escreva. coloque seus sentimentos,Eu conheci o amor, sei o que é amar e me sinto, verdadeiramente, privilegiado e abençoado por isso.
beijos

em azul said...

Senti as tuas mãos nas minhas. Foi esse o momento de calar os lábios. Senti o teu peito encostado no meu. A força do amar passou pelo bater do coração. O amor era o de sempre e agigantou-se. Suou, chorou, apertou-nos os corpos um no outro. Os meus olhos penetraram os teus quando o teu olhar entrou fundo no meu. O amor era o de sempre e agigantou-se. As tuas mãos e as minhas uniram-se entre os dedos e sentimos os nossos corpos vibrar. Foi o nosso momento de nos acreditar...

Deixo-te um abraço, Miosótis
em azul

em azul said...

Ah! E espero que o trabalho já não seja tanto.
Beijo

(a) said...

"Flores brancas de pera
e uma mulher no luar lendo uma carta" que a lê.

Um beijo Y. miosótis! :)

poetaeusou . . . said...

*
a perfeião tua,
não se comenta,
,
conchinhas, envio
,
*

joshua said...

Escrever é excreção como o que é mel, como o que é oxigénio fotosíntese.

joshua said...

Magnífico revisitar o que escreveste e citaste.

joshua said...

.

heretico said...

BEIJOS

delicada e sensível beleza das tuas edições. sempre...

antonio - o implume said...

Bem inserido o apontamento de Saramago, ele cola na tua escrita como uma segunda pele.
Sujeitemo-nos a todos os gestos de silêncio com rebeldia.

O Profeta said...

A arte aquí é servida em bandeja de prata...palavras e pincéis e raro virtuosismo...


Doce beijo

Twlwyth said...

Sentir.. Sonhar.. Acordar a esperança.. Cuidar.. Preencher.. Escrever..

Ler.

Beijo terno

Å®t Øf £övë said...

Miosotis,
Há momentos que gostamos de acreditar que se tornarão eternos na nossa vida, por isso temos sempre que acreditar que um dia os vamos viver.
Bjo.

batista said...

...
deixo um abraço fraterno, enquanto, sem pressa, vou conhecendo o teu sítio.
...

Miosotis said...

... sensibilizada 'bill'!
Quem sabe não voltarei a ler-te por aqui...

Miosotis said...

... e espero 'ver-te' de volta, Miguel! Sensibilizada!

Um beijo

Miosotis said...

... sim 'faz frio ... gelado', Dark_!
E hoje mais do que nunca sinto o frio, o tempo feito em fragmentos dispersa.se, deixando aragens gélidas de um inverno antecipado.

Sensibilizada pelo teu olhar!

Miosotis said...

... quem escreveu aqui que tudo se tornou fácil e sem cor, sem valor, sem amor, 'dctorxix'?!

Poisaram-se palavras fragmentadas de sentires que não permutam ausência de sentimentos...

Fico feliz em saber que encontrou seu amor!

Sensibilizada pelo teu olhar!

Um beijo

Miosotis said...

... que 'fragmento' lindo escreveste aqui, 'em azul'! Nem há palavras! Momento belo, esse! Profundamente sensibilizada!

Um abraço fraterno!

... o trabalho continua...e o desconforto também, em fugas breves...

Miosotis said...

Sensibilizada, como sempre, (a) :)

Gosto de poesia oriental, sabes? Pela simplicidade do falar dos estados d'alma...

Um beijo,

Miosotis said...

... olhos amigos, os teus... 'poetaeusou'!

Ontem o mar estava verde-prata, semi-revolto, mas sereno nas suas ondas lânguidas, longas! Frio gélido em volta...

Sensibilizada pelo teu olhar!
Um beijo

Miosotis said...

... sentires opostos, fragmentos que se entrechocam, 'joshua'!?

A citação é minha leitura quase diária, no pouco tempo que me 'deixam' p'ra respirar...

Um beijo

Miosotis said...

... como é bom ler-te por aqui, 'Herético'!

Teus olhos amistosos poisas em palavras doces! Sensibilizada!

Um beijo,

Miosotis said...

Nem sempre apreciei Saramago!
Gostei de alguns livros, autêntica renovação na literatura portuguesa!

Detestei sua maneira de ser! Hoje, sinto-o mais calmo, mais afável!

Sensibilizada pelo olhar!

Um beijo

... a rebeldia será eterna...

Miosotis said...

... comentário-resposta anterior para 'António'! Lamento o esquecimento...

Miosotis said...

...teus olhos de poeta, 'Profeta' mesclados de amistosidade! Muito sensibilizada!

Um beijo,

Miosotis said...

Ler. Sim, 'Twlwyth'... ler é liberdade, é refúgio!

Escrever é soltar, meditar...

Sensibilizada pelo teu olhar fraterno, sempre!

Um beijo afectuoso,

Miosotis said...

Há momentos que precisamos viver, 'Art'! E continuar a sonhar!
Viver não é matar o sonho, não!

Sempre amigo e companheiro ao longo do tempo... sensibilizada!

Um beijo,

Miosotis said...

... sensibilizada, 'batista' pelo olhar lento, atento, poisado na leitura de 'fragmentos'!

Espero voltar a ler-te...

Um beijo

José Miguel Gomes said...

Torno a sair tranquilo daqui, obrigado.

Fica bem,
Miguel

Oliver Pickwick said...

A sua sensibilidade jamais estará em xeque-mate. Ainda que desejasse, jamais deixaria de "sentir".
Quanto à ilustração, nenhuma técnica exibe tanta suavidade e delicadeza quanto à aquarela.
Um beijo!

Miosotis said...

... sensibilizas-me com tua amizade, Miguel!

Uma linda semana!
Beijo

Miosotis said...

... não sei que dizer, 'Pick_'! Talvez seja mesmo isso, por muito que tente alterar ou 'libertar-me'...

Também eu adoro aguarelas! Tal como exprimiste, elas são delineadas de sensibilidades leves e suavemente afloradas!

Palavras de grande afectuosidade, as tuas!
Um beijo,

Miosotis said...

... para (a) que me alertou para o facto de não ter elencado correctamente o sítio de Adriana Banfi, autora destas belíssimas aguarelas!

Sensibilizada pelo aviso... só hoje pude remediar o erro de link!

Um beijo

Mateso said...

Escrever não será a dança do pensamento cuja melodia veste o sentimento?
Bj.

Miosotis said...

... escrever é tantas vezes a dança da tristeza vestida de alegres 'roupagens'...

Sensibilizada, 'Mateso' pelo olhar sempre afectuoso em 'fragmentos'!

Um beijo

... não sei se poderei estar presente! Agradeço infindavelmente!