Sunday, November 05, 2017

Olá Novembro ! Já ?






Autumn
créditos: Julian Stratenschulte

Uma borboleta amarela?
Ou uma folha seca
Que se desprendeu e não quis pousar?

Mario Quintana
in Pensador

Já chegamos a Novembro? Como assim? Ainda mal se sente o Outono. Embora muito bela, quando não chove, não é a minha estação favorita. Traz-me demasiado melancolia. 

A chuva é precisa. Eu sei. Mas confesso. Adoro este sol que me faz saltar da cama, em dia de domingo e me deixa, logo pela manhã, colher a luminosidade de um céu azul, dificilmente manchado de nuvens.

Adoro o mar de Outono. Doce, deixando passsar tranquilidade. Apazigua-me num mês sempre doloroso. Novembro.

Um tempo assim, limpa alma, deixa-me respirar. Profundamente.

E, no entanto, as noites já pedem, por vezes, a manta no sofá. E o aroma de hortelã que se solta da chávena de chá de gengibre, fumegante, que saboreio devagar enquanto espreito as novidades culturais ou mindfulness (não encontro expressão adequada em português) nas notícias ou redes sociais.

Enquanto aguardo que o Outono chegue, apesar de já se sentir nas manhãs frescas e nas noites frias, vou fruindo dos dias, agora mais curtos devido à mudança da hora - malfadada! - apreciando as noites de solstício, olhando da pela janela a lua cheia destas últimas noites. Leio, passeio, medito. E, por vezes, vou ao cinema ou a um concerto.

Miosótis (pseudónimo)

05.11.2017
Copyright ©2017-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®

4 comments:

martinealison said...

Bonjour,

Un bel hommage à Dame Automne...
En ce qui me concerne je préfère Demoiselle Printemps.

Gros bisous ��

Mar Arável said...

Que chovam relâmpagos

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Bonsoir Martine,

Merci, chère amie. Bien que je n'aime pas beaucoup l'Automne. Trop mélancolique. La saison des poètes.

Alors, on est deux :-) Moi aussi, j'adore le Printemps. Ça me rafraîchit! je me sens plus gaie.

Gros bisous!

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Desta vez, estou do teu lado, ´Mar Arável'! Que chovam relâmpagos!
Abraço,