Wednesday, April 10, 2013

Como um carícia





Floresta | Foto: José Oliveira
www.facebook.com

II
Está alta no céu a lua e é primavera. 
Penso em ti e dentro de mim estou completo. 

Corre pelos vagos campos até mim uma brisa ligeira. 
Penso em ti, murmuro o teu nome não sou eu: sou feliz. (...) 

Alberto Caeiro

 
Ah! Finalmente a Primavera promete chegar! Como uma carícia! 

Há algum tempo que andava tristonha, e não escapei ao desalento, com a ausência do sol, dos dias serenos, das aragens acaraciadoras, como as que nos presenteou hoje. A Primavera.

O sol brilhou desde a manhã, o céu se cobriu de azul-claro, intenso, as folhas das árvores espreguiçaram-se mais verdes, e de longe, um ou outro pássaro se ouviu.

Verdade! meu pássaro-cantador, anunciador da Primavera, passou por aqui há algumas semanas. Tentou por um ou duas madrugadas, alertar-me para a primavera, mas o frio, a chuva, o fustigou tanto, que ele se retirou. Ele e outros que tentaram sobrevoar estes espaços também partiram para paisagens menos inóspitas.

Estou então airosamente prazerosa! Basta um olhar a sul para libertar toda a ansiedade que se acumulou nestes longos longos meses de Inverno. 

Já limpei as folhas secas das poucas flores que me restam, e aguardo que, com a  atenção e o carinho prestados hoje, quer por mim quer pelo sol, elas despontem alegremente, de novo. Abram suas flores, vistosas, e se deslumbrem com as temperaturas tépidas,  para inundar os dias de cores garridas, surpreendendo-nos com aromaterapias soltas na paisagem. 

Então, aguardo. Quem sabe meu pássaro-cantador não muda de rota e passa de novo pela minha janela?

Com o final de tarde a poisar-se sobre os vidros semi-abertos das janelas, vou escrevendo, impressões de Primavera, fruindo dos raios de sol que se espalham ainda, luminosos, pela mesa de trabalho, para não esquecer que hoje, a Primavera prometeu voltar.

Assim deixo, neste final de dia, o testemunho encantador da simbologia de um novo tempo. A primavera desceu à rua.


II 
(...)
Amanhã virás, andarás comigo a colher flores pelos campos,
E eu andarei contigo pelos campos a ver-te colher flores.
Eu já te vejo amanhã a colher flores comigo pelos campos,
Mas quando vieres amanhã e andares comigo realmente a colher flores,

Isso será uma alegria e uma novidade para mim.


Alberto Caeiro, Está alta no céu a lua e é primavera


in O Pastor Amoroso, Poesia
Assírio & Alvim, ed. Fernando Cabral Martins, Richard Zenith, 2001*



Miosótis (pseudónimo)

fragmentos da tarde com aromas de flores

14.04.2013
Copyright ©2013-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®

Licença Creative Commons
* Referência:

Casa Fernando Pessoa
http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt/


12 comments:

Lilasesazuis said...

Miosótis, obrigada pela presença bonita.

Obrigada pelas palavras carinhosas.

Fernando Pessoa, eterno!!

Amei os versos primaveris!!

Tenha uma ótima semana,

beijinhos,


Lígia e =^^=

Elisa T. Campos said...

Miosótis

Bom dia. Estou um pouco ausente, mas nåo esqueço dos amigos. Sempre encontro aqui mais uma das suas maravilhosas postagens. Flores outonais com sabor de primavera. Aqui estamos no outono e os ipês ainda pintados de verde. Fernando Pessoa revestido de qualquer alma poética. Adoro.

Volto.
Um lindo dia para você.
Bjs.

Daniel Aladiah said...

Querida Miosótis
Vim matar saudades de bons blogs como o teu,
Beijo
Daniel

Miosotis said...

Foi com muito gosto que retribui sus visita a 'fragmentos', Lígia!

Fiquei triste ao saber de sua perda...

Fernando Pessoa é uma constante neste espaço!
E a vontade imensa de aromas de primavera levaram-me a pensar de novo em Pessoa/Caeiro.

Um lindo fim-de-semana para si!
Beijinhos,

Miosotis said...

Olá Elisa,

É sempre muito prazeroso tê-la de volta em 'fragmentos'.

Fico muito sensibilizada por não esquecer os amigos! As suas palavras afectuosas sabem-me bem!

Verdade! Apesar do tempo ser de Primavera, as flores quase parecem outonais.

Devem ser lindos seus ipês de verde pintados no Outono.

Fernando Pessoa pela voz de Alberto Caeiro tem alma poética bucólica.

Um dos nossos poetas mais lindos, portanto! É bom saber!

Um lindo fim-de-semana para si.
Beijos

Miosotis said...

Querido Daniel,

Foi uma alegria ler-te em 'fragmentos', de novo!

Tem sido difícil continuar... terminar, continuar?! - são duas constantes nestes tempos...

Muito obrigada pela amizade!
Beijo

Evanir said...

Mesmo Diminuindo Meus Paços
Mesmo Demorando Minha
Chegada Do Outro
Lado Da Ponte.
Não cortarei pedaços
Para Diminuir
O Peso
Que Eu Carrego.
Mesmo Se A Dor Apertar.
Na Minha Fé Deposito
Minhas Esperanças
Em Deus..
Deus abençoe sua semana caminhas de flores e muito amor
Beijos carinhos sempre.
Evanir

Elisa T. Campos said...

Miosótis.

Passei para reler teus lindos escritos que fazem muito bem para a alma.
Aqui agora é o inverno que se aproxima. Muitas árvores sem folhas a exibir as mais lindas flores, principalmente as suinãs.

Lindos dias para você.
Bjs.

Miosotis said...

Evanir,

Muito obrigada pela sua visita a 'fragmentos' e pelas palavras afectuosas.

Gostei muito da sua poesia.

Linda semana para si também,

beijos

Miosotis said...

Elisa,

Muito obrigada por ter voltado em curto espaço de tempo e pela mensagem tão afectuosa.

Tenho andado muito ausente.

Aqui, o inverno ainda não se afastou completamente, como pode ler :-(

Vou ver o que são as suinãs...

Linda semana para si.
Beijos

Elisa T. Campos said...

Miosotis

Você quer ver as suinãs?Estão na minha nova postagem.
Aqui as janelas do inverno estão se abrindo. As folhas das suinãs cairam todas para dar lugar às mais lindas flores. São como espadinhas a apontar para todos os lados dizendo: Cheguei para te aquecer!!!!!.

Despida de folhas
agora se aquece com cachos
de rubras suinãs

Lindos dias para você.

Miosotis said...

Vou agora ver as suinãs na sua postagem. Estou muito curiosa...

Pela sua descrição, o Inverno vestido com as flores das suinãs deve ser bem mais belo! Adorei a animização. E a imagem das janelas que se abrem para a estação mais triste.

Lindo o seu haikai. Muito obrigada

Lindo domingo para si, Elisa.