Monday, June 01, 2015

A Walt Whitman




Andre Kohn | Woman Reading

Gosto de poesia. O quieto olhar se enleva, absorto, preso naquela corrente poética que as palavras atraem. Tão longas paisagens.

Não escrevo poesia. Não tenho esse dom quase divino. Apenas leio poesia, e fruo sem pressas. Viajando pelos recônditos da sensibilidade.

A quietude da noite desperta, por vezes, em mim, fragmentos de prosa poética. Apenas. Não é o caso deste final de dia.

Hoje detive-me em Walt WhitmanWalt Whitman, o poeta, e pensador norte-americano, nascido a 31 Maio 1819. O poeta a quem se deve o verso livre.

Sentada, numa paisagem bem real, percorri alguns poemas de Whitman. Até que me detive aqui:

Are you the new person drawn toward me?

Are you the new person drawn toward me?
To begin with, take warning, I am surely far different from what you suppose;

Do you suppose you will find in me your ideal?

Do you think it so easy to have me become your lover?

Do you think the friendship of me would be unalloy’d satisfaction?
Do you think I am trusty and faithful?
Do you see no further than this façade, this smooth and tolerant manner of me?
Do you suppose yourself advancing on real ground toward a real heroic man?
Have you no thought, O dreamer, that it may be all maya, illusion? 

Walt Whitman, 1819-1892

Falo de sonhos. Eu sei. E de sonhadores. Não sou poeta, mas sonho. Da poesia me vem essa vontade de percorrer os caminhos da imagética transcendente. 

E amor não é sempre ilusão?

Fiquei calada. Em harmonia. Finitamente. Pura emoção.

Whitman seria a constelação do meu sorriso. Hoje.


Miosótis (pseudónimo)

01.06.2015
Copyright ©2015-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®

14 comments:

Mar Arável said...

Todos somos poetas

alguns escrevem

Lune Fragmentos da noite com flores said...

... está aí a diferença.

beijo, 'Mar Arável'.

heretico said...

gosto de revisitar o Walt Whitman...

beijo

martinealison said...

Bonjour,

Que du plaisir de vous lire...

Gros bisous ☼

Lune Fragmentos da noite com flores said...

So do I... so do I. Veio-me esta melodia para exprimir como gosto, também eu, de revisitar Whitman.

Beijo, Herético

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Salut Martine,

Toujours enchantée de vous lire, rien que pour exprimer qu'on est là par um petit commentaire.

C'est tellement bon de bavarder avec les amis!

Excellente semaine !
Bisous

Suzete Brainer said...

Olá Lune,

Para mim, o poeta são todos aqueles que tem o olhar do
poeta (poesia) através das artes e a leitura é uma arte
tão importante quanto a escrita, quem gosta de ler poesia,
é um poeta também, tem o sentir poético e tudo
começa com esse sentir.
Aprecio muito a poesia de Walt Whitman, o caminho poético
dele é libertador com uma filosofia e construção imagética que transcendem...

Grata poe esta tua preciosa partilha!
Beijinhos.

Ps: Estava saudosa de voar aqui no teu espaço de arte...

Pedro Costa said...

Oi Lune :)

Como alguém escreveu nos comentários todos somos poetas. Concordo.
Mas só poucos serão grandes poetas. Podemos não ser Neruda, Whitman, William Blake, Pessoa ou Espanca.

Mas somos Pedro, Lune, Suzete, Mar Arável e milhões de outros poetas que nunca serão Poetas. Mas isso não pode retirar o prazer de escrever umas "asneiras" em verso. Nem que seja só para nós, que não chegue a ver a montra de uma livraria.

Escreves poesia em prosa. A tua escrita é muito poética. Apenas não a vês como tal.
Mas é. E bonita :)

Um beijo :*

Carmem Grinheiro said...

Olá, Miosótis - reparo, só agora!, distraída sou, que há quem a trate por "Lune", apesar de assinar com pseudónimo Miosótis, que é uma flor pequenina azul, azulinha, que adoro, e daí ter me "caído no gosto" o nome - qual prefere?

Em relação à sua postagem: nem todas as pessoas apreciam poesia, consideram enfadonho e, por vezes, mesmo desnecessária. Facto é que o ser humano não necessita de nenhuma forma de arte para viver, se, o que esperar da vida se resumir a um seco respirar. Porque, a partir do momento em que experimentar a emoção da própria respiração em si, apreciará a arte de inspirar e expirar, compassadamente e, daí lhe surgirá, quem sabe, uma melodia que lhe passe a cantar na cabeça, até que a exteriorize e sinta a necessidade de a acompanhar com movimentos ritmados, criando a dança. Nesse momento, sem saber, será poeta.
Ser poeta é mais ou menos isso: sem sentir... até que, em casos agudos, passa a ser vital.

bjn amg

Miguel said...

Minha querida amiga
Estou quase a regressar e nessa altura visitarei todos os blogs amigos.
Por agora venho pedir-te um favor:
Se não é pedir muito…vai ao meu blog, escreve qualquer coisa no espaço dos comentários, e vê se algo de anormal acontece.
Estou preocupado porque uma amiga – MAJO – informou-me que o meu blog está com vírus.
Depois de ler o comentário de MAJO, pedi a duas amigas – Mariazita e Teresa - que fossem lá ver o que se passava.
Não notaram nada de anormal, e assim o escreveram em comentários.
Mas a MAJO insiste que “tenho” vírus…
Vai até lá, por favor, e informa-me.
Em devido tempo te agradecerei!
PS – Desculpa o “Copy”, mas não pode ser doutro modo.
Um beijo
MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

PS,PS – APROVEITO PARA DESEJAR UM ÓPTIMO FIM DE SEMANA.

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Olá Suzete,

É verdade, estou em sintonia com teus pensamentos expressos quando descreves que todos os que amam ler poesia, são poetas. A estética do sentir a poesia tem muito a ver com a educação que recebemos, os livros que lemos, numa adolescência precoce, o aprimorar na evolução dos estudos o aprofundamento da essência da vida.

O olhar do poeta vem de dentro, mas passar à escrita é sempre complexo. Quanto mais lê, maior a dificuldade devido ao peso da comparação com os grandes, sempre presente.

Também eu sou grande apreciadora/leitora de Walt Whitman. Para além do que referiste, o olhar simples, sensível, das coisas que se vivem, se sentem,

Uma boa semana!
Beijinhos

Ps: Também eu fiquei feliz pelo facto de te sentir presente, de novo, em 'fragmentos da noite'.

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Olá Pedro,

Vês? É isso mesmo que tentei expressar no comentário anterior.

Eu sei. Tantos poetas na blogosfera! Poetas no seu sentir, na vontade/necessidade de escrever o que lhes atravessa a alma.Alguns acabam por chegar a editoras vocacionadas para uma tipologia de escritores. Fico feliz por eles. Poderá ser até a realização de um sonho.

Fiquei muito sensibilizada com as tuas palavras em relação a este meu 'jeito' de escrever! Uma misto de prosa poética que me é muito caracteristica, quando inspirada. E que pode soar bem a quem me lê.

Um beijo :)*

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Olá Carmen,

Não se preocupe e trate-me como mais gostar.

O pseudónimo 'Miosótis' está descrito com afecto no meu post 'Noites do tempo que passa' (12 Set. 2014)

E foi com esse afecto/saudade que decidi escrever sob esse pseudónimo.

'Lune', por outro lado me descreve. Gosto do silêncio da noite, escrevo quase sempre à noite. Do que sinto, do que oiço, do que admiro. Da vida.

Sim, é um facto. São talvez mais os que não gostam de poesia... talvez porque a poesia nos faz explorar o nosso âmago. E nem sempre as pessoas estarão preparadas para lidar com o seu ser mais intimo.

No fundo, descreve issi no seu próprio comentário... quando enuncia as razões que faz cada ser humano escolher olhar (ou não) para o seu eu. E resume então o ´seco respirar', andando nas margens do sentir, para não se encontrar como seu ser/essência.

Gostei muito de a ler em 'fragmentos da noite' Espero que queira voltar.

Um beijo amigo. E até breve !

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Miguel,

Lamento só hoje responder. E não é hoje que vou visitar teu blog, pelo adiantado da hora. Meus olhos cerram-se...

Talvez já tenhas regressado, quem sabe? E o problema que surgiu no teu blog tenha desaparecido.

O Chrome é bastante mais selectivo que o windows. E por vezes detecta factores maliciosos que o segundo não detecta.

Mal possa, ainda esta semana se possível, vou visitar-te.

Beijinhos