Saturday, November 02, 2013

Pássaro sem primavera




Tate Tatew

Esta deveria ser a hora
em que me recolheria
como um poente
no bater do teu peito
mas a solidão
entra pelos meus vidros
e nas suas enlutadas mãos
solto o meu delírio

(...)

Mia Couto, Solidão (excerto)

E foi na hora em que me recolhia que ouvi um pássaro bem perto chilreando, alegre, quase pueril.

Mas, não é Primavera! Que fará um pássaro sem primavera cantando na noite fria? O Outono leva os pássaros, e só o calor os volta a trazer. 

Perdido? Não. Cantava com alegria. Como se tivesse todo o tempo do mundo para atravessar as estações.

Não pode ser! E fui até à janela de onde chegou seu canto. Lá estava ele, chilreando, por entre pedaços de chuva como frutos abundantes que o pássaro debicava entre o verde dos ramos das árvores, na obscuridade.

Um dia cinzento-pardo, plantado de tristeza na noite escura. E entrou ele, assim, com seu trinado despreocupado, pelos meus vidros, por trás dos quais a noite se fechava na bruma fria, o céu sem lua.

Solto, leve, esse pássaro encantador continuava, arrancando-me à solidão que me tocava nos dedos. 

Sempre me surpreendem, me fascinam estes seres delicados, frágeis, livres, independentemente do(s) tempo(s) das estações.

Foi para ti
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra (...)


Mia Couto, Para ti (excerto)


Obrigada meu pássaro-cantador! Puseste um sorriso neste rosto que todo o dia permanecera tão ensombrado quanto o tempo. E me empurraste os olhos para outros limites.

Miosótis (pseudónimo)

02.11.2013
Copyright ©2013-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

Licença Creative Commons

11 comments:

Mar Arável said...

Há pássaros assim perenes no canto
em voz alta

Suzete Brainer said...

Existem pássaros especiais

que (en)cantam atemporalmente...


Grata pela sua gentil visita

ao meu blog.

Um domingo luminoso!

Abraço!

Elisa T. Campos said...

Maravilhoso.
Me sinto nesse jardim ouvindo os chilreios dos pássaros e frutas e flores sibilando.

Adoro suas potagens.

heretico said...

os deuses habitam as pequenas coisas - como bem sabes!

até nos outonos pardacentos o encantamento persegue as almas mais sensíveis...

beijo

Lilá(s) said...

É desses pássaros que eu gosto...
Bjs

Lune Fragmentos da noite com flores said...

E como são encantadores, 'Mar Arável'!
Sensibilizada por estar atento.

Bom fim-de-semana

Lune Fragmentos da noite com flores said...

São mesmo 'pássaros especiais'... encantam nossos frios dias de inverno.

Foi um gosto conhecer seu blogue, Suzete ! Espero voltar.

Muito obrigada por ter retribuido.
Lindo fim-de-semana !

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Sua presença amiga, tão afectuosa, me dá sempre muita alegria, Elisa !

O jardim, pequeno, fica em frente a minha casa... mas os pássaros o adoram !

Luminoso fim-de-semana!
Abraços

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Abraços para Suzete. Me desculpe...

Lune Fragmentos da noite com flores said...

... pois eu sei.
E é esse encantamento nas pequenas coisas que me alenta nos invernos mais desconfortáveis.

Sim, tens razão, os deuses pressentem as nossas tristezas e nos enviam seus bardos para nos encher a alma !

Beijo, 'Herético'

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Que bom, Lilá(s) !

São encantadores !
Beijos