Thursday, July 14, 2011

A essência da paisagem



Vivia numa casa grande. Quatro andares mais um andar assotado. A casa dava para um parque ladeado de seculares tílias. No Inverno, o barulho que faziam nas noites de temporal, assustava-me. Mas, mal chegava a Primavera, cobriam-se de verde. E no Verão eram sombras acolhedoras! 

Escolhi o sótão como quarto, lá no topo, para não incomodar a família, nas longas horas de estudo de piano. Por sinal, o meu sótão era bem luminoso!

Todas as tardes, depois de regressar do colégio, subia para o quarto. Fechava a porta - só possível enquanto não chegava o calor - e sentava-me ao piano. Começava com o aquecimento: escalas, exercícios. Entrava então na repetição de compassos, passagens difíceis, criteriosamente assinaladas pela minha professora de piano. E só depois passava à execução integral de uma peça ou outra. A que me desse mais prazer.

Em final de tardes amenas, cansada, escapulia-me para o telhado, através da janela rasgada que abria de par em par, e lá ficava olhando os fios das nuvens, trauteando em silêncio as partituras deixadas. 

Seguiam-se momentos de imaginação afoita diante de tanta imensidão. Estava tudo tão perto! Era dona de um espaço só meu, inexplorado, e deixava correr o pensamento ao sabor do infinito na transcendência do real. Pura adolescência! 

Uns anos mais tarde, a casa foi vendida, e impiedosamente demolida. No trajecto que fazia para a faculdade, o autocarro passava mesmo ao lado da casa. E o meu olhar quedava-se no desmoronar do telhado, da janela, daquele quarto assotado. A tristeza caiu-me na alma.

Esta foto, via-a no espaço de um amigo que cultiva a fotografia. Eis então o que define este sentimento intimista! Um intervalo do tempo. O meu quarto assotado não teve tempo de envelhecer.

Miosótis (pseudónimo)
 
fragmentos da noite com flores, texto original 2011©

14.07.2011
Copyright ©2011-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®

Licença Creative Commons


8 comments:

heretico said...

imagens essenciais - memórias de infância.

lugares de culto.

beijo

mfc said...

Um lindo flash back que li sem me deter!
Obrigado pelo grito de alma e por teres gostado da minha foto.
Obrigado e um beijinho

Tiago Cardoso said...

excelente.

Virgínia do Carmo said...

Há lugares que levamos connosco para sempre.

Bela memória.

Um beijinho!

Miosotis said...

,,, de repente, há espaços, aromas que se adentram e nos trazem de volta 'pedacinhos' de vida que guardamos religiosamente...

Beijo, 'Herético'!

Miosotis said...

Pois se foi teu 'olhar' que fez despoletar este 'intervalo de tempo' em mim :)

Um beijo, 'mfc'

Miosotis said...

Oh! Bem-vindo, Tiago... há tanto tempo! Obrigada.

Miosotis said...

Há lugares que trazem em nós doces aromas. Verdade. E permanecem.

Deixas-me sempre sensibilizada, Virgínia, pelo carinho com que vens até 'fragmentos'!

Um beijinho!