Wednesday, July 15, 2009

Nada há sem poesia!



Summer | Sergey Alexey (1925)


És homem ou mulher?
[...] É
a rosa nem branca nem vermelha, a rosa pálida,
vestida com a substância da terra:
a que toma a cor dos olhos de quem a fixa, por
acaso, e ela agarra, como se tivesse
mãos abstractas por dentro das suas folhas. [...]

Nuno Júdice, Arte Poética


Descreve-te:
Apenas
uma coisa inteiramente transparente:
o céu, e por baixo dele a linha obscura do horizonte
nos teus olhos, que pude ver ainda
através de pálpebras semicerradas, pestanas húmidas
da geada matinal, uma névoa de palavras murmuradas [...]
Nuno Júdice, Um Rosto


O que as pessoas acham de ti:

Nunca são as coisas mais simples que aparecem
quando as esperamos. O que é mais simples,
como o amor, ou o mais evidente dos sorrisos, não se
encontra no curso previsível da vida.
[...]

Nuno Júdice, Nunca são as coisas mais simples

Como descreves teu último relacionamento?

[...]
O perfil cinzento da montanha,
para norte, e a linha azul do mar, a sul,
dão-lhe a moldura cujo centro se esvazia
quando, ao dizer o teu nome, a realidade do
som apaga a ilusão de um rosto.

Nuno Júdice, Elegia

Descreve o momento actual de tua relação:

[...]
Podíamos saber um pouco mais
do amor. Mas não seria isso que nos faria deixar
de amar ao saber exactamente o que é o amor, ou
amar mais ainda ao descobrir que, mesmo assim, nada
sabemos do amor.
Nuno Júdice, Princípios

Onde querias estar agora?

[...]
Vê de longe
a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.
Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.


Nuno Júdice, Segue teu Destino


O que pensas a respeito do amor?

Lábios
que encontram outros lábios
num meio de caminho, como peregrinos
interrompendo a devoção,
[...]
que silêncio os entontece quando
de súbito se tocam e, cegos ainda,
procuram a saída que o olhar esquece
num murmúrio de vagos segredos? [...]

Nuno Júdice, Soneto

O que é a tua vida:

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.
A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.
[...]
Nuno Júdice, Segue o teu Destino

O que pedirias se pudesses ter só um desejo?

Confias no incerto amanhã? Entregas às sombras do acaso a resposta inadiável?[...]
Então, por que esperas para sair ao encontro da vida, do sopro quente da primavera, das margens visíveis do humano?
[...]
Nuno Júdice, Carpe Diem


Em jeito de glosa: Em tempos, aArtmus pediu-me que aceitasse este desafio! Um 'meme'!
Nuno Júdice é um dos 'meus' poetas e portanto não foi difícil partir para a escolha de excertos que se pudessem enquadrar nos itens 'pré-definidos'!
Gostaria que lessem este 'meme' apenas como um exercício poético, nada mais! 

Espero que ele seja do agrado de 'Mateso'
E sabendo quanto aprecia a música erudita, aqui deixo o acompanhamento que sinto apropriado a este exercício de vida. Poesia em tonalidades dedilhadas ao piano.


A Mateso, agradeço sensibilizada a sua fidelidade a 'fragmentos da noite com flores'!

Miosótis (pseudónimo)

 
15.07.2009

Copyright ©2009-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®


Licença Creative Commons

Referência:


* Nuno Júdice, obra, Dom Quixote Editores

14 comments:

Mateso said...

Sensibilizada fico eu. Obrigada pelo momento.
Quem não gosta de olhar os miosótis? São tão singelos no seu azul e perfeitos no seu recorte de flor.

.
Um beijo

Mateso said...

Ficou cortada a primeira parte mas eu reescrevo-a... Soubeste vestir as palavras de música.
Como gostei.
Bj.

Nilson Barcelli said...

Fizeste um magnífico post com os excertos dos poemas deste autor, que muito aprecio.
Querida Mio, a tua imaginação não tem limites...
Beijo.

DarkViolet said...

Nada há sem a exploração contínua de um trilho de sensações, rasgados sobre os murros do horizonte nublado de luz ou da escuridão brilhante.... quem saboreia as palavras em traços de Alma sabe entranhar o fogo na lâmina de "rabiscos" de véus...
Fizeste um conto com poemas de um escritor. Ficou bela a sequência- "A Arte poética num rosto. nunca eram as coisas mais simples que elegia. Segue o teu destino,soneto,segue o teu destino, Carpe Diem

Å®t Øf £övë said...

Miosotis,
Parabéns pela forma criativa com respondeste a este meme/desafio.
Bom fds.
Bjo.

Miosotis said...

Fico feliz que tenhas gostado, 'Mateso' :)

Um beijo,

... sensibilizad pelas palavras lindas que escreveste!

Miosotis said...

... também, eu, Nilson! É mesmo um dos 'meus' poetas!

Sensibilizada pelas palavras afectuosas!

Um beijo,

Miosotis said...

'...quem saboreia as palavras em traços de Alma sabe entranhar o fogo na lâmina de "rabiscos" de véus...'
as palavras e os poemas são mesmo para 'saborear' quando sentidas, e/ou ditas do âmago do Ser!

Apesar de Pessoa escrever que 'o poeta é um fingidor'... não o é! Apenas finge que é!

Sensibilizada pelo belo texto aqui deixado!

Carpe diem!

Miosotis said...

O comentário/resposta anterior é para 'Dark_'!
:(

Miosotis said...

Sensibilizada, 'Art'!

Sempre muito amistoso ao longo do tempo!

Um beijo,

Mar Arável said...

A sua síntese

é em si

poesia

Miosotis said...

... palavras amistosas, as suas, 'Mar Arável'!

Nilson Barcelli said...

Querida amiga, como não publicaste outro post, dexo-te "apenas" o desejo de um bom fim de semana.
Beijo.

Miosotis said...

...o que muito agradeço, Nilson!
O pensamento de alguém que não nos esquece...

Bom semana!
Um beijo,