Thursday, May 04, 2006

Flores da noite: tributo




Fotografia: Rosemary/EUA



(...)

Entre que muros moram suas mãos

Entre que murtas montam seus abrigos

Entre quem possa ver deste postigo

Entre que morros morrem de aflição. (...)



David Mourão Ferreira, Entretanto


Dois sem-abrigo são mortos nas ruas do meu país, depois de sujeitos a inexoráveis actos de barbárie cruel, negra! Um deles, pelas mãos de um grupo de adolescentes em ruptura social mortífera?


Já não basta olhar nos olhos sem fundo, esvaziadamante abertos em silêncios  inexpressivos sem consolo humano, homens que procuram nas ruas desnudas o refúgio último dos seus passos.


Que se procura em seres despojados de si próprios, sem afectos nem prazeres, virados ao desconforto, miséria, solidão, vazio absoluto!

Que sentimentos de transgressão e devassidão humana podem estar envolvidos nestes gestos horrendos e despudorados de seres perante outros perante outros seres que já desistiram de tudo e nada?

Estes os meus gritos d'alma sem resposta, associados em comunhão de espírito aos gritos pungentes que esses dois homens e todos os outros homens no mundo lançam ao Universo civilizado no partir aflito, sofredor, no completo anonimato das ruas sem nome
!

CAIS, uma Associação de Solidariedade Social sem fins lucrativos.

Nasceu em 1994 e a sua missão situa-se no apoio da re-inserção social da população sem-abrigo em Portugal.

O sucesso nos processos de recuperação de vidas deixada ao abandono, à mendicidade, ao crime, e ao desprezo de si, passa pelo investimento que se fizer nesta instituição.

Publica uma revista denominada "CAIS" que é vendida exclusivamente pelos sem abrigo, mais recentemente também com o apoio da Ponte Digital.


Miosotis (pseudónimo)



Para ti, 'Art_of_love', amigo afectuoso de fragmentos da noite com flores! Espero ter respondido ao teu apelo de corrente humanitária.

04.05.2006


Copyright ©2006-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 



A ti meu eterno irmão, lutador incansável, abatido, te entregaste no trajecto final de tua passagem. Que a Luz se faça, nesta noite de teu aniversário corpóreo.

Licença Creative Commons

13 comments:

Bitchoman said...

Sem palavras...

Friedrich said...

Queres saber mesmo a verdade? Só estou mesmo aqui pq o meu blog mandou; para ver se tb comentas a minha história. Alguém disse: "que longa introdução". E eu acrescento, mas é mesmo só uma introdução, porque a história vai formando-se dentro da tua cabeça. - P/ descarado só me falta o chapéu... Senão tiver leitores as vendas baixam. - A poesia não precisa, governa-se sozinha!...

Beijos e abraços

miosotis said...

Bjs, B'man!

miosotis said...

Ñ sei o q pretendes, Friedrich?!

Comentar a tua história, será um prazer, 'criticar' é algo q ñ farei!

Poderei, com simplicdd, opinar pelo facto de ser uma 'leitora 'compulsiva' :)

Aqui, sou apenas uma 'escrevinhadora'...

bjs

Dulcineia said...

Espectacular!

miosotis said...

Bem-vinda Dulcineia [teu 'nick'/pseudónimo tem ligações afectivas com meus prazeres literários] ao meu espaço de alguns sentires.

E mt obrigada por deixares teu olhar!

Menina_marota said...

Na emoção, perco as palavras que gostaria de dizer-te, mas o agradecimento pela partilha que aqui fazes é enorme.

Um abraço carinhoso ;)

miosotis said...

Bem-vinda menina_marota!

Mt sensibilizada pelas palavras de emoção partilhada!

Abraço carinhoso

Å®t_Øf_£övë said...

Miosotis,
Fiquei muito sensibilizado por este teu texto, e pela forma como respondeste a este apelo. Gostei também da tua escolha, que me pareceu que de alguma forma terá uma certa envolvência emocional da tua parte.
Boa semana.
Beijinhos.

miosotis said...

Art, fiz esta escolha, pq já tinha feito várias outras q igualmente me tocam... convinha ñ me repetir!

Td q diga respeito à condição humana me sensibiliza profundamente!

A Humanidade está a atravessar uma fase tristíssima :(

Boa semana!

bjs

dark said...

o teu texto tocou bem fundo. Há coisas tão incompreensíveis no mundo. E dolorosas.
sempre que encontro os vendedores compro a revista CAIS.
Já vi que gostas muito de flores. Hoje, pus uma flor e o poema que me inspirou.

miosotis said...

Bem-vindo dark!

Mt sensibilizada pelas palavras de solidariedade humana!!

Sim, gosto mt de flores, especialmente de 'miosótis' :)

bjs

Anonymous said...

Eu gosto muito de girassóis! Uma vez escrevi sobre um. Um dia dou-te a história, se quiseres. Miosótis, nunca mais. Tanto pedi a Maria, e Ela, divina, esqueceu-se sempre de mim.... mas também, quem iria querer saber de uma boneca de porcelana??? Não tinha Alma, nem nada ....