Monday, December 26, 2005

Lágrimas de Natal




Foto: Ali Jarekji/ Reuters
http://news.yahoo.com



(...) um instante na memória de chegares é mais valioso
do que jardins, do que montanhas, do que anos de
tempo.(...)



José Luís Peixoto *
Carta de Natal


Na noite, o silêncio fez-se ainda mais profundo. Percorri os espaços, busquei matizes, esperei sons. Ansiei ver teu rosto poisado em minhas mãos, cheirar os teus cabelos, tocar em tuas mãos para te poder agradecer todo o carinho/amor(?) que me dedicas.


Pedi aos anjos do Universo que, neste noite especial descem mais perto, ascultando nosso sentir, para me trazer a tua voz, tua presença em corpo físico. E eles me responderam:

- Fixa bem as estrelas! E ergue teu pensamento. Ele te captará! Virá ao teu encontro, pressuroso, meigo, tímido, inseguro como tu!
Também ele anseia poder segurar teu rosto, beijar teus cabelos perfumados,  segurar tuas mãos com toda a ternura que lhe emana da alma em sobressalto.

Airosamente, percorri uma imensa planície de nuvens, colhi flores poisadas nelas. Queria aromatizar teu caminhar. Até que uma montanha de algodão negro me fez parar. Tu não vieste. E a tua voz não chegou, em murmúrios ternos e sentidos.

- Anjos! Por que teima meu amigo em se esconder por trás desta montanha de algodão negro?! - perguntei em tom de lamento entristecido.

De uma flor de pétalas de seda, caíu silenciosa uma gota de orvalho, linda, transparente, grossa como uma bago de uva solto.

E minh'alma errante recolheu-se envergonhada, cansada, entristecida, sozinha, em mais uma noite de Natal!

[...] fico acordado de noite, com a esperança secreta de
que possas regressar. [...] *

* José luìs Peixoto, Lembrança de perder tudo, A Casa, a Escuridão, Outubro 2002


Miosótis (pseudónimo)


texto original, 25.12. 2005
Copyright ©2005-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

fragmentos de uma noite de natal



Licença Creative Commons

14 comments:

Pagan said...

Fiquei deveras comovido com este texto. Uma comoção estranha... a beleza das palavras em contraste com a tristeza do lamento, a beleza dos sentimentos inerentes opondo-se a angústia ciumenta: não pude evitar o desejo de querer esses sentimentos e essas palavras fossem a mim dedicados. Queria merecê-las, ser digno delas. Beijos doces.

miosotis said...

Boa noite "M". bjs_ternos_tristes

Pagan said...

?M? Cada vez mais sinto que não sou mesmo...

Pagan said...

Parece-me evidente (depois desse "M"), que pensaste que eu era alguém que é (ainda) muito especial na tua vida. Não sou. Sou somente uma vagabundo da vida, sem eira nem beira, que por um acaso te encontrou aqui nos blogs e logo ganhou uma paixão viva pela pessoa que és. Por momentos sonhei e agora acordei. Um beijo muito triste

miosotis said...

Não deverias ser ?!? Todo o ser para mim tem a importância do Mundo e se me quer bem! E então tu...

miosotis said...

Quem é o ser sensível q não é vagabundo da vida ?!? É-se errante sempre, dentro da própria alma.
Afinal, não vais cumprir a tua promessa "nunca mais estarás só"... senti q algum dia voltarias a esconder-te por trás da montanha de algodão negro. Vida miserável, esta! Onde até para sentir é preciso fingir :((

Pagan said...

A vida não é miserável, mas sim o Tempo que é traiçoeiro. O Tempo e o Espaço. Queria estar mais perto de ti no Espaço, mas principalmente no Tempo.
Pessoa estava errado, um poeta só finge que finge, para que a dor não doa tanto. Beijos de Amor-doce.

Pagan said...

Vim deixar um beijo de boa noite

miosotis said...

Agradeço, senti-o! Beijo terno

Pagan said...

Também aqui te quero beijar.

miosotis said...

Este é mais intimista. bj_terno

Pagan said...

Então deixa que eu me atreva a um carinhos mais íntimo e secreto.

Pagan said...

Passei pata te dar um abraço bem apertadinho. Como não estavas, deixo um beijo no ar.

miosotis said...

... em suspenso ?! terno_abraço