Friday, January 27, 2012

No coração da noite





Ballymoney, United Kingdom


E de súbito desaba o silêncio.
É um silêncio sem ti,
sem álamos,
sem luas.

Só nas minhas mãos
ouço a música das tuas.

Eugénio de Andrade, Coração do Dia


É bom voltar aqui! Meu refúgio temporal que guardo como um relicário. Apesar do espaçamento das noites em que me sento diante de mim.

As palavras caladas são a imensa poesia que me faz mover nos dias. Esses dias que escorrem pelos dedos como brisa leve e solta em jeito de finitude.

a imagética do instante fica presa nos meus sentidos. Como que suspensa. 

Mais uma noite caiu e um outro dia se infiltra pelas luzes da cidade. 


Miosótis (pseudónimo)

27.01.2012
Copyright ©2012-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 
Licença Creative Commons



13 comments:

Jorge said...

Bonita inserção de foto e texto!

mfc said...

Volta sempre que precises...
Um abraço grande.

heretico said...

expressivas. as mãos...

beijo

Virgínia do Carmo said...

A poesia está sempre cá. Neste peito.

Um sentido abraço

Elisa T. Campos said...

Que lindo.
Demorei para vir aqui , mas meu encanto com a sua poesia continua.

Bjs

Miosotis said...

Muito obrigada Jorge :)

Sempre um prazer!

Miosotis said...

Assim farei 'mfc'... obrigada :)

Um abraço,

Miosotis said...

Sensibilizada, 'Herético'...

Um beijo,

Miosotis said...

Gosto, sempre que sinto essa vontade d'alma, de vir até aqui ao meu 'refúgio', Virgínia!

Sensibilizada pela amizade!

Abraço bem fraterno,

Miosotis said...

Sensibilizada pelas palavras e pelo 'encanto', Elisa!

Um beijo,

Fragmentos Repartidos said...

Antes de mais obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário lá deixado. Como foi no dia do meu aniversário, para mim, foi como uma prenda de aniversário :-).

Ainda não explorei mto o teu blog, mas pelo que já vi, tens textos interessantes e gostei muito dessa frase desse texto:
"As palavras caladas são a imensa poesia que me faz mover nos dias. Esses dias que escorrem pelos dedos como brisa leve e solta em jeito de finitude."

Beijo.

Ruben

Lune Fragmentos da noite com flores said...

Ruben,

Lamento só hoje responder ao teu comentário. Deparei com ele por acaso.

Fico feliz, embora tão tardiamente, que a minha visita tenha coincido com teu dia de aniversário.

Há dias mais inspirados, e gosto de saber que a minha escrita te agradou.

Se ainda manténs o teu espaço, irei agradecer-te. Se não, fica aqui a minha gratidão.

Beijos

Fragmentos Repartidos said...

Olá! Ainda mantenho o meu espaço, embora ultimamente passe lá com menos frequência...mas de tempos a tempos há a necessidade de dar lá um pulo, como se fosse uma espécie de refúgio.