Monday, December 05, 2011

Audrey Hepburn: tributo





Bob Willoughby | Audrey Hepburn

Photographs 1953-1966

 
 
Há cinquenta anos, Breakfast at Tiffany’s passou pelos cinemas. O ícónico filme, baseado num romance de Truman Capote com o mesmo nome, veio a tornar-se um dos filmes mais acarinhados no género da comédia romântica. 

A personagem principal Holly Golightly ficou considerada como a melhor interpretação de Edda van Heemstra Hepburn-Ruston, de origem belga, mais conhecida como Audrey Hepburn.




Ao longo da sua carreira, ninguém conseguiu captar, com melhor eloquência visual, a personalidade, o carisma, o enigma de Hepburn do que o  fotógrafo Bob Willoughby. O fotógrafo conheceu a jovem Hepburn pouco depois de ela ter chegado a Hollywood em 1953 e, hipnotizado pela sua extraordinária personalidade, continuou a fotografá-la durante uma década. 

Ao longo dos anos, Willoughby tornou-se um amigo de confiança da actriz,  ajudando-a a afirmar a sua imagem pessoal e profissionalmente.

Da conceituada editora Taschen chega um livro extraordinário de rara estética - imagem de marca da editora - Bob Willoughby: Audrey Hepburn: Photographs 1953-1966, numa edição de coleccionador que certamente terá um preço elevado. Ainda assim, o trabalho de Willoughby é tão poético e encantado que é difícil não ceder.
 
Claro que não penso adquirir! Apesar de adorar livros e de apreciar a estética dos mesmos.
 
Mas fico-me pelo prazer de folhear algumas páginas digitais que se encontram disponíveis no sítio web da Taschen.

 


 
De Audrey Hepburn lembro os clássicos Breakfast at Tiffany’s ou My Fair Lady  que revia na televisão, uns anos mais tarde.
 
 
Encantadora, não era mesmo? E esta imagem deliciosa!
 
 
Mas, a última imagem que me ficou desta lindíssima actriz, foi a de Embaixatriz da UNICEF, dedicando muito do seu tempo a um trabalho humanitário intenso. 

Visitava comunidades pobres pelo mundo, dedicando-se às crianças carenciadas em África, América do Sul e Ásia, nos anos 80-90. Num tempo em que poucos famosos se atreviam a pisar.

A sua morte (doença cancerígena) causou grande consternação em 1993.
 




Miosótis (pseudónimo)
 
fragmentos da noite com flores
 
05.12.2011
Copyright ©2011-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 


Licença Creative Commons


6 comments:

mfc said...

Ela sobressaía sobre tudo e todos na sua elegância e presença ímpares!

Virgínia do Carmo said...

Sou desde sempre grande admiradora desta atriz, pelo seu talento mas também pela personalidade que revelou ao longo da sua vida.
O livro deve ser mesmo uma delícia, Porque esta mulher era portadora de uma beleza e de uma elegância invulgares.

Grata por mais uma excelente, partilha, Miosótis:)

Beijinho grande

heretico said...

amorável Audrey...

saudosos tempos.

beijos

Miosotis said...

Ela era linda em tudo, 'mfc'! Beleza frágil, elegância, humanismo.

É interessante que só com esta obra, fiquei a saber a sua origem!

Miosotis said...

Audrey Hepburn sempre me encantou!
Carismática, talentosa, humanista!

Aconselho-te a ir ao sítio web da 'Taschen' (célebre pelas suas edições de autor) e aí poderás folhear algumas páginas do livro. Uma mais valia da tecnologia... eu adorei andar por lá!

Beijo, Virgínia
(sabes que gosto das coisas belas)

Miosotis said...

Sim, acho que é adjectivo ideal 'amorável' Audrey...

Deixou saudades, sim! Não teve quem a substituísse na 7ª arte! Inigualável!

Beijo, 'Herético'