Sunday, July 26, 2009

... na beleza do silêncio!


AP Photo/Manish Swarup



AFP/Rizwan Tabassum



AP Photo/Bikas Das 
http://news.yahoo.com/photos


Há civilizações ricas de sentires que não se apagam... apesar do peso da globalização! Grandes na sua simplicidade preservada ao longo dos tempos.

Venero os rituais sagrados de seres que se identificam profundamente com o Universo, actos de fé de uma serenidade intocável!

"Lead me from the unreal to the Real.
Lead me from darkness to Light.
Lead me from death to Immortality "

The Upanishad



Miosótis (pseudónimo)

26.07.2009

fragmentos da noite, a propósito do fervor desta mulher Hindu que oferece preces ao deus Sol, nas margens do Ganges, durante o eclipse solar visível em alguns países da Ásia.

Em nota: Log de agradecimento a Vasco Matos do Reloed que amistosamente me ofereceu o "Prémio Lemniscata", cujo significado pode ser visto aqui

Agradeço, pedindo compreensão para o facto de só agora fazer esta divulgação que muito me sensibilizou.


Copyright ©2009-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®

Licença Creative Commons


Wednesday, July 15, 2009

Nada há sem poesia!



Summer | Sergey Alexey (1925)


És homem ou mulher?
[...] É
a rosa nem branca nem vermelha, a rosa pálida,
vestida com a substância da terra:
a que toma a cor dos olhos de quem a fixa, por
acaso, e ela agarra, como se tivesse
mãos abstractas por dentro das suas folhas. [...]

Nuno Júdice, Arte Poética


Descreve-te:
Apenas
uma coisa inteiramente transparente:
o céu, e por baixo dele a linha obscura do horizonte
nos teus olhos, que pude ver ainda
através de pálpebras semicerradas, pestanas húmidas
da geada matinal, uma névoa de palavras murmuradas [...]
Nuno Júdice, Um Rosto


O que as pessoas acham de ti:

Nunca são as coisas mais simples que aparecem
quando as esperamos. O que é mais simples,
como o amor, ou o mais evidente dos sorrisos, não se
encontra no curso previsível da vida.
[...]

Nuno Júdice, Nunca são as coisas mais simples

Como descreves teu último relacionamento?

[...]
O perfil cinzento da montanha,
para norte, e a linha azul do mar, a sul,
dão-lhe a moldura cujo centro se esvazia
quando, ao dizer o teu nome, a realidade do
som apaga a ilusão de um rosto.

Nuno Júdice, Elegia

Descreve o momento actual de tua relação:

[...]
Podíamos saber um pouco mais
do amor. Mas não seria isso que nos faria deixar
de amar ao saber exactamente o que é o amor, ou
amar mais ainda ao descobrir que, mesmo assim, nada
sabemos do amor.
Nuno Júdice, Princípios

Onde querias estar agora?

[...]
Vê de longe
a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.
Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.


Nuno Júdice, Segue teu Destino


O que pensas a respeito do amor?

Lábios
que encontram outros lábios
num meio de caminho, como peregrinos
interrompendo a devoção,
[...]
que silêncio os entontece quando
de súbito se tocam e, cegos ainda,
procuram a saída que o olhar esquece
num murmúrio de vagos segredos? [...]

Nuno Júdice, Soneto

O que é a tua vida:

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.
A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.
[...]
Nuno Júdice, Segue o teu Destino

O que pedirias se pudesses ter só um desejo?

Confias no incerto amanhã? Entregas às sombras do acaso a resposta inadiável?[...]
Então, por que esperas para sair ao encontro da vida, do sopro quente da primavera, das margens visíveis do humano?
[...]
Nuno Júdice, Carpe Diem


Em jeito de glosa: Em tempos, aArtmus pediu-me que aceitasse este desafio! Um 'meme'!
Nuno Júdice é um dos 'meus' poetas e portanto não foi difícil partir para a escolha de excertos que se pudessem enquadrar nos itens 'pré-definidos'!
Gostaria que lessem este 'meme' apenas como um exercício poético, nada mais! 

Espero que ele seja do agrado de 'Mateso'
E sabendo quanto aprecia a música erudita, aqui deixo o acompanhamento que sinto apropriado a este exercício de vida. Poesia em tonalidades dedilhadas ao piano.


A Mateso, agradeço sensibilizada a sua fidelidade a 'fragmentos da noite com flores'!

Miosótis (pseudónimo)

 
15.07.2009

Copyright ©2009-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®


Licença Creative Commons

Referência:


* Nuno Júdice, obra, Dom Quixote Editores

Sunday, July 05, 2009

Farrah Fawcett: tributo








Farrah Fawcett
http://www.newsweek.com

"Eu sempre acreditei que o optimismo era uma necessidade. Então, durante a dor que eu sofri com a radio e a quimioterapia, eu olhava para o futuro."


Farrah Fawcett

Farrah Fawcett morreu no mesmo dia em que Michael Jackson. Mas, pouco ou nada se viu ou ouviu falar desta mulher que lutou heroicamente para combater a terrível doença que a afectou. Umas notícias curtas e fugidias.


Penso que quem a lembrou com mais amizade, nesse dia mesmo, foi o entretainer norte americano Larry King quando comentava a morte de Jackson.


King chamou à atenção para o esquecimento que os media estavam a fazer da morte desta actriz.




Farrah FawcettKate Jackson, Jaclyn Smith
'Charlie's Angels' 

Fotografia: Mathews/FilmMagic
http://assets.nydailynews.com

Um dos mais célebres trios de actrizes, série "Anjos de Charlie " aqui numa fotografia em 2004.




Farrah Fawcett

Foto: Hulton/Getty Images
http://assets.nydailynews.com


Depois de assistir ao documentário real da luta e da dor, filmado por Alana Stewart, que seguiu e acompanhou, em cada minuto, a vida de Farrah durante os dois últimos anos e meio da vida desta mulher corajosa, fiquei com uma profunda admiração por este ícon da beleza dos anos 70.

A coragem de mostrar tão desnudadamente os momentos mais penosos da sua luta contra o cancro, em condições tão fragilizadas, deixa-nos emudecidos!




"O dia não quebrava os sonhos, podia-se dormir de olhos abertos, e a vida gozoza e fácil como o jogo e o sonho. Podiam-se abrir os braços e gritar: Eu vivo" (...)

Teolinda Gersão, A Árvore das Palavras, edição especial, Dom Quixote, 1997


Miosótis (pseudónimo)

06.07.2009
Copyright ©2009-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®

Licença Creative Commons

fragmentos da noite com flores, num tributo comovido, para continuar aqui