Tuesday, November 27, 2007

E as palavras...




Sebastian Willnow|AFP 2007





Eagle

Nasa/Handout/Reuters2007
http://news.yahoo.com/photos


(...) Entre nós e as palavras, surdamente,


as mãos e as paredes de Elsenor


E há palavras nocturnas palavras gemidos


palavras que nos sobem ilegíveis à boca

palavras diamantes palavras nunca escritas


palavras impossíveis de escrever


por não termos connosco cordas de violinos


nem todo o sangue do mundo nem todo o amplexo do ar


e os braços dos amantes escrevem muito alto



muito além do azul onde oxidados morrem


palavras maternais só sombra só soluço

só espasmo só amor só solidão desfeita





Entre nós e as palavras, os emparedados

e entre nós e as palavras, o nosso dever falar



Mário Cesariny
,
Welcome to Elsinore

Miosótis (pseudónimo)


fragmentos da noite, em jeito de homenagem a Mário Cesariny, ao som de Now we are free, Lisa Gerrard

27.11.2007



Copyright ©2007-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

26 comments:

Anonymous said...

e as palavras, e nós! Entre os dois, somos sós.

Essas duas fotos sao-me familiares, as suas tonalidades, talvez já as tenha visto por aqui, ou talvez não?!

e por aqui nos encontra-mos...

wood-gotas de orvalho said...

O mundo é a circunstância do nosso olhar. (Ou dos nossos sentidos, para um cego). As palavras deviam, assim, estar reservadas para uma plateia de invisuais - ou de poetas.

LB said...

E uma bela "em jeito de homenagem"...

Beijinho

PoesiaMGD said...

Uma bela homenagem! Apreciei muito quer o poema quer as imagens!
Um abraço

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

Kristal said...

Está maravilhoso, Miosótis !

Que espetáculo o seu post !

Beijos kristalinos

DarkViolet said...

A liberdade ou através da imagem ou da palavra consegue-se. Até simplesmente ouvir e deixar os sentidos estremecer se consegue flutuar com esses remos.

Miosotis said...

'Anónimo',

Nunca repito imagens aqui... poderás ter visto semelhantes, mas estas não, certamente!

As palavras de Cesariny são lindas. mas profundamente tristes! É assim que as interpreto...

Quanto às palavras, as tuas, as minhas... por aqui nos encontramos 'virtualmente'!

Lamento só hoje responder! Afazeres de vida profissional sem prazer me têm retido!

Sensibilizada pelo teu atento olhar em 'fragmentos'!

Miosotis said...

É uma perspectiva bonita a tua, 'Wood' sobre as palavras!

São circunstância de nosso olhar. E podem ser complemento ou destruição...

As palavras... as palavras podem transmitir tudo e nada!

Podem ser 'fingimento' de poetas, ou ligação entre 'fragmentos' de seres que se cruzam.
Tal como os invisuais... apenas sensações tácteis, revisitas pela voz/gesto de alguém que nos pode ser querido!

Lamento só hoje responder! Afazeres de vida profissional sem prazer me têm retido!

Sensibilizada pelo teu atento olhar em 'fragmentos'!

Miosotis said...

Sensibilizada, 'LB' pelo teu olhar amigo em 'fragmentos'!

Foi uma escolha possível, talvez mais sensitiva do poeta...
Um beijo

Miosotis said...

Uma homenagem, ao meu jeito 'MGD', escorreita e sensível! É mesmo esse o meu jeito...

Sensibilizada pelo teu amistoso olhar em 'fragmentos'!
Um abraço

Miosotis said...

Que bom ver seu olhar de volta, 'Kristal'!

Sensibilizada pela presença!
Um beijo

Miosotis said...

A liberdade ou parte dela... consegue-se sim, 'Dark_' quer pela imagem, quer pela palavra!

Mas também se chega ao outro/outros... e sentimos fragmentos seus através dessa expressão que pode ser mais ou menos contida!

Sensibilizada pelo olhar amistosamente atento!

herético said...

entre nós e as palavras. o dever de falar. ou mais modestamente - não calar!

brilhante.

Miosotis said...

É talvez essa a intenção do poeta, 'Herético'!

Sensibilizada pelo olhar sempre amistoso em 'fragmentos'!

Mateso said...

As palavras são a gente, são o ontem, o hoje e o amanhã.
Palavras são gente.
Aas imagens capeiam o poema em plenitude.
Beijinho.

Anonymous said...

mt interessante o blogue. n conhecia.

deixo uma dica de um autor novo que merece ser divulgado:

www.tiagonene.pt.vu

Bi.

Metamorfose said...

E com palavras se escreveu assim, belíssima homenagem a Cesariny, ilustrada com fotografias ao nível do texto. Beijos

Miosotis said...

É isso,'Mateso'... as palavras são 'fragmentos' das pessoas!

As palavras personificam muitas vezes os nossos afectos/desafectos!

Sensibilizada pelo teu olhar sempre tão atento e amistoso poisado em 'fragmentos'!
Um beijo

Miosotis said...

Caro 'anónimo'!

Sensibilizada pelo olhar poisado em 'fragmentos' e pela divulgação feita!

Coincidentemente, assisti a uma parte da entrevista com esse 'novo' autor na RTP2, uma noite!

Lá irei, ao espaço recomendado.
Um beijo

Miosotis said...

Sensibilizada, 'metamorfose' pelo olhar poisado em 'fragmentos'!

Cesariny tinha este outro lado, no todo de uma personalidade controversa!

Gosto das paisagens intimistas feitas de sons e de olhares!

(Un)Hapiness said...

as palavras ás vezes são demasiado complexas para caberem no q se escreve...

sinto isso, mas Mário Cesariny parecia n sentir..

bonito espaço.

Anonymous said...

não sei se será profundamente triste, nao nos devemos é ficar apenas por elas, as palavras. Como são, elas, tudo e nada, se não houver um boca que as tome e as torne em vida.

engano o meu, relativamente às fotos.

um boa semana

Miosotis said...

Os sentires, os afectos, os sentimentos, os estados d'alma é que complexos nas palavras não passam...

Sensibilizada pelo olhar atento em 'fragmentos', ['un]happiness'!

Miosotis said...

'...Como são, elas, tudo e nada, se não houver um boca que as tome e as torne em vida.' - gostei profundamente do que aqui escreveu, 'Anónimo'!

Quanto às imagens, não tem mesmo importância! Se gostou delas, já é bom!

Sensibilizada pelos seus olhares 'recatados' poisados por aqui!

Å®t Øf £övë said...

Miosótis,
As palavras... sempre as palavras. Eu pessoalmente prefiro estar emparedado entre as palavras, do que viver na ambiguidade dos silêncios. Aliás detesto silêncios...
Bjo.

Miosotis said...

Art, não esqueci, de modo algum, o prémio que me atribuiste!
Mas sabes que tenho uma maneira muito própria de responder... e estes tempos não me têm ajudado!

No entanto, já publiquei a tua nomeação, como símbolo de agradecimento... que virá em seu momento certo!

As palavras... um bom mote para quebrar os muros de silêncios que se têm erguido entre alguns seres...

Efectivamente, também há seres que nos obrigam à 'mordaça' do silêncio...

Um beijo para ti, sempre presente em 'fragmentos'