Monday, December 22, 2014

Tempo de Natal





créditos: Mark and Spencer

Natal de novo ! Nestas últimas noites, o pensamento vagueou, incerto na conjugação dos afectos. Uns se renovam outros se apagam. 

Foi um tempo de mudança ao longo dos meses. Pedaços de vida, sentido sufocado, algumas tristezas, mas  recomeço. Vulnerável. A golpes de coração.

Ciclos de vida, se diz. Não sei. Apenas colho, como quem poupa as lembranças. O passado se desvanecendo. O presente lentamente desenha algo. Impreciso.

É então Natal. Como dizer, tempo de luzes. Lá fora a música soa levando-nos para outros espaços. Melodias intemporais que trazem os sons da infância. Alegria. Sonho. Sons de ternura.

Natal! Adoro a luz das velas, os aromas da canela, a cor das romãs, o sabor das nozes. Tempo de paladares fortes.Castanhos da cor de avelã. E amarelos da cor de açafrão. A intensidade do gengibre. E tisanas ao final da noite, aromatizadas com mel.


Na casa, os espaços ficam mais acolhedores. O simples pinheiro de Natal ornamentado de luzes pequeninas e enfeites alusivos traz um pulsar mais perfeito?


Enfim, é Natal. Lá fora o sol dá um brilho diferente este ano. Que bom ! O azul na paisagem , torna as noites menos frias. Mais suaves. 


Já não lembrava um Natal assim! Na verdade, os desafectos ficam mais leves enquanto olho o azul do firmamento que se adentra pelas janelas.

Falar do maravilhoso é mais fácil. Que digo eu? Uma espécie de loucura? Não. 

Afundada no sofá da sala, vou desenhando com o pensamento a melhor maneira de recuperar o maravilhoso das noites de Natal. Em família.

De repente a mudança? Para melhor. Quem sabe?

Este ano, é urgente o encantamento. E o Natal aproxima-se com toda a tradição literária do maravilhoso nos contos de Natal.

Tempo de deixar minha mensagem. Paz. Saúde. Afectos. Para todos os que me visitam

O meu carinho muito especial vai para os amigos fiéis. Que vão rareando.

Tudo tem um recomeço. Ponham convicção, brilho no olhar. E deixem acontecer Natal. 

Felizes Festas !

Miosótis (pseudónimo)

22.12.2014
Copyright ©2014-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 

Tuesday, December 16, 2014

Do espiritual na Arte: Kandinsky




Composition XIII, 1923
New York, The Solomon R. Guggenheim Museum

"Cada quadro encerra misteriosamente toda uma vida, com muitos sofrimentos, dúvidas, horas de entusiasmo e de iluminação. Para onde se dirige esta vida? Donde clama a alma angustiada do artista quando participa da criação? Que quer anunciar?"

Kandinsky, Do Espiritual na Arte, 
Publicações Dom Quixote, 1ª edição, Lisboa, 1987

Wassily Kandinsky, pintor russo é homenageado pelo Google com um doodle no dia do 148º aniversário do artista.



Composition IX, 1936
Paris, Musee National Art Moderne, Centre Georges Pompidou

Kandinsky é um dos meus pintores favoritos e já me referi a este enorme precursor  da pintura abstracta, que usou as cores como uma expressão de emoção, ligando muitas vezes o processo da pintura à composição da música.

Pintura e música, duas expressões de maior liberdade que elevam a nossa sensibilidade ao grau mais absoluto do infinito.



Dominant Curve, 1936
New York, The Solomon R. Guggenheim Museum

E cores. Sim, as cores transportam emoções. A pintura abre-nos as portas a fugas intensas do quotidiano.

Olhos presos na pintura, a alma desprende-se e vai, solta, livre, em busca das emoções que tantas vezes atrofiamos no dia-a-dia.

É como que uma aventura que ultrapassa qualquer preconceito e nos arrasta para campos intensos, fragmentos de sentimentos, mitigando a dor do trivial.

É um universo muito próprio que criamos entre a obra e o nosso íntimo, sereno, como um peregrinação espiritual do sagrado que há em nós.

Só posso sentir-me grata aos criativos de Google, que por momentos me transportaram numa curta viagem, em noite de chuva, ventanias fortes.

"Color is the keyboard, the eyes are the harmonies, the soul is the piano with many strings. The artist is the hand that plays, touching one key or another, to cause vibrations in the soul."

Wassily Kandinsky

Miosótis (pseudónimo)
fragmentos da noite com flores

16.12.2014
Copyright ©2014-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com® 


Wednesday, December 10, 2014

As Mulheres no Dia dos Direitos Humanos





Este ano, em Portugal, foram assassinadas em média quatro mulheres por mês, no contexto de relações de intimidade, segundo dados divulgados hoje, Dia Internacional dos Direitos Humanos.


Uma mulher é assassinada por semanavítima de violência doméstica. Desde o início do ano e até ao final de Novembro, já foram assassinadas 40 mulheres no contexto de relações de intimidade e outras 46 foram alvo de tentativa do mesmo crime. Em Portugal.



Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres é assinalado todos os anos a 25 Novembro. Desde 2007 que este espaço, também um espaço de causas humanitárias, tem divulgado dados e acções que levem à reflexão.

Não foi possível divulgar o Dia para a Eliminação da Violência contra as Mulheres em Novembro.

Hoje, no Dia Internacional dos Direitos Humanos esta reflexão enquadras-se perfeitamente.

O relatório sobre violência contra mulheres e crianças foi divulgado hoje, dia 09 Dezembro 2014, pelo OMA (Observatório de Mulheres Assassinadas), no âmbito do Dia Internacional dos Direitos Humanos, que se assinala anualmente a 10 de Dezembro.

credits : European Commission

Também a violência contra as mulheres tem estado nas preocupações da União Europeia, já outros países da Europa padecem deste flagelo.


"Neste inquérito, as mulheres foram questionadas sobre as suas experiências de violência física, sexual ou psicológica, incluindo actos violentos perpetrados por um parceiro íntimo - violência doméstica -, bem como sobre a perseguição, o assédio sexual e o papel desempenhado pelas novas tecnologias nos abusos sofridos."
Maria Teresa Horta | As Meninas

Maria Teresa Horta acaba de lançar um livro de contos, As Meninas. Maria Teresa Horta traça, ao longo de trinta e dois contos, uma vasta e prodigiosa galeria de "Meninas". Quase todas negligenciadas, quando não abandonadas e maltratadas, que se entregam à imaginação, à magia ou à leitura salvadoras. 

"Meninas que são ela, mas que também são outras, inventadas ou recriadas, mas sempre reflexo do que se tem feito ao longo dos séculos a quem nasce mulher."

O meu tributo aqui fica. Zero Tolerância na Violência contra mulheres e jovens adolescentes!

Miosósotis (pseudónimo)

fragmentos da noite com flores

10.12.2014
Copyright ©2014-fragmentosdanoitecomflores Blog, fragmentosdanoitecomflores.blogspot.com®